Livro
Livro
JOGOS E PASSATEMPOS

O jogo das perguntas

O jogo das perguntas

GREGORY STOCK, PH.D.

291 questões instigantes para você nunca ficar sem assunto

291 questões instigantes para você nunca ficar sem assunto

Ouse perguntar. Pergunte aos seus amigos e familiares. Acima de tudo, pergunte a si mesmo.

 

Com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos, O jogo das perguntas se tornou um fenômeno ao levar os leitores a refletir sobre seus princípios e valores.

Abordando diversos assuntos – como amor, dinheiro, sexo, ética e tecnologia –, este livro estimula o crescimento pessoal, ajuda a aprofundar seus relacionamentos e é um ótimo passatempo para quando você estiver sozinho no carro ou num jantar com seus amigos e familiares.

Nas 291 questões polêmicas que encontrará aqui, você será convidado a explorar o mais fascinante dos temas: você mesmo e a maneira como lida com a vida.

Você reescreveria a redação de seu filho no vestibular se isso garantisse a ele uma vaga na melhor universidade? Estaria disposto a abrir mão de sexo durante um ano se isso lhe garantisse paz interior?

Pergunte. Reflita. Debata. Sem oferecer uma resposta sequer, este livro vai desafiar suas crenças e, quem sabe, mudar a maneira como você enxerga o mundo e as pessoas à sua volta.

****

Fenômeno no exterior, O jogo das perguntas é um livro que vai fazer você desafiar tudo aquilo em que acredita. Trazendo questões inquietantes, instigantes e polêmicas, ele vai levá-lo a pensar sobre coisas que você jamais imaginou – e que poderão mudar completamente a sua maneira de pensar sobre si mesmo.

• Você seria capaz de matar uma criança inocente se isso acabasse com a fome no mundo? Em caso afirmativo, e se a criança fosse seu filho?

• Se você recebesse um envelope contendo a data da sua morte e soubesse que não poderia fazer nada para alterar seu destino, você o abriria?

• O que você faria se soubesse que seu melhor amigo é traficante de heroína?

• Como você reagiria se ficasse sabendo que um poema lindo e triste que o tocou profundamente foi escrito por um computador?

• Você engordaria 20 quilos e manteria esse peso durante três anos para ganhar 200 mil reais? Quanto gostaria de ganhar, caso topasse, para engordar 50 quilos e manter esse peso por pelo menos um ano?

Ouse perguntar. Pergunte aos seus amigos e familiares. Acima de tudo, pergunte a si mesmo.

 

Com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos, O jogo das perguntas se tornou um fenômeno ao levar os leitores a refletir sobre seus princípios e valores.

Abordando diversos assuntos – como amor, dinheiro, sexo, ética e tecnologia –, este livro estimula o crescimento pessoal, ajuda a aprofundar seus relacionamentos e é um ótimo passatempo para quando você estiver sozinho no carro ou num jantar com seus amigos e familiares.

Nas 291 questões polêmicas que encontrará aqui, você será convidado a explorar o mais fascinante dos temas: você mesmo e a maneira como lida com a vida.

Você reescreveria a redação de seu filho no vestibular se isso garantisse a ele uma vaga na melhor universidade? Estaria disposto a abrir mão de sexo durante um ano se isso lhe garantisse paz interior?

Pergunte. Reflita. Debata. Sem oferecer uma resposta sequer, este livro vai desafiar suas crenças e, quem sabe, mudar a maneira como você enxerga o mundo e as pessoas à sua volta.

****

Fenômeno no exterior, O jogo das perguntas é um livro que vai fazer você desafiar tudo aquilo em que acredita. Trazendo questões inquietantes, instigantes e polêmicas, ele vai levá-lo a pensar sobre coisas que você jamais imaginou – e que poderão mudar completamente a sua maneira de pensar sobre si mesmo.

• Você seria capaz de matar uma criança inocente se isso acabasse com a fome no mundo? Em caso afirmativo, e se a criança fosse seu filho?

• Se você recebesse um envelope contendo a data da sua morte e soubesse que não poderia fazer nada para alterar seu destino, você o abriria?

• O que você faria se soubesse que seu melhor amigo é traficante de heroína?

• Como você reagiria se ficasse sabendo que um poema lindo e triste que o tocou profundamente foi escrito por um computador?

• Você engordaria 20 quilos e manteria esse peso durante três anos para ganhar 200 mil reais? Quanto gostaria de ganhar, caso topasse, para engordar 50 quilos e manter esse peso por pelo menos um ano?

Compre agora:

Ficha técnica
Lançamento 02/03/2015
Título original
Tradução MELISSA LOPES LEITE
Formato 15 x 15 cm
Número de páginas 156
Peso 150 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-431-0168-2
EAN 9788543101682
Preço R$ 24,90
Ficha técnica e-book
eISBN 9788543101699
Preço R$ 17,99
Lançamento 02/03/2015
Título original
Tradução MELISSA LOPES LEITE
Formato 15 x 15 cm
Número de páginas 156
Peso 150 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-431-0168-2
EAN 9788543101682
Preço R$ 24,90

E-book

eISBN 9788543101699
Preço R$ 17,99

Leia um trecho do livro

Introdução

Ainda me lembro das minhas primeiras experiências com algumas das questões deste livro 25 anos atrás: breves interações em cafés que se transformaram em ótimas conversas tête-à-tête, bate-papo com velhos amigos que me deram grandes insights e tardes desanimadas que ganharam vida e me deixaram acordado até altas horas.

Quando O jogo das perguntas foi publicado pela primeira vez, em 1987, Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev estavam no poder. O Muro de Berlim ainda estava de pé. Os brancos governavam a África do Sul. O Prozac tinha acabado de ser lançado. As câmeras digitais, a internet e o Projeto Genoma Humano praticamente não existiam. O World Trade Center ainda despontava no céu de Nova York. Um bom celular pesava 1 quilo e precisava ser carregado após uma hora de conversa.

Tudo era diferente. E nada era diferente. Assim como hoje, as pessoas enfrentavam questões relacionadas a dinheiro e família, amor e perda, esperança e medo. Lutavam contra a doença, a morte, o fracasso e a frustração. Buscavam significado e realização. Conheciam a tentação e a traição. Elas batalhavam, assim como fazemos agora, para deixar sua marca no mundo e entender a si mesmas e aos outros.

Era o tempo certo para debates não sobre assuntos triviais, mas sobre valores e crenças, e O jogo das perguntas apresentava dilemas simples, originais, concretos e acessíveis para provocar a mente e testar o raciocínio acerca de tópicos fundamentais, como vida, amor, dinheiro, sexo, integridade, generosidade, orgulho e morte.

O livro ganhou repercussão e foi traduzido para 18 idiomas, vendeu mais de 2,5 milhões de exemplares, deu origem a um novo gênero de livros de perguntas e conquistou um lugar especial no coração de muita gente.

Os principais desafios da vida hoje não são muito diferentes dos de antigamente, mas a cultura mudou. E também o contexto, a linguagem e o foco. Por isso, fiz esta nova edição, com perguntas que inserem a tecnologia e a sociedade atuais em antigos dilemas.

As perguntas abordam assuntos variados, de modo que, mesmo que você leia todas elas na sequência, vai encontrar tópicos inesperados. Repare nos pontos que o atraem e naqueles dos quais tende a fugir. Nós reagimos com mais emoção a perguntas que se referem a áreas mal resolvidas para nós, por isso aquela que você prefere evitar é provavelmente a pergunta a que deveria prestar mais atenção. Você fica fascinado pelas perguntas sobre saúde e moral? Pula questões de cunho sexual? Por quê?

Com frequência jogamos conversa fora sem nos envolver muito com o interlocutor. Experimente fazer as perguntas deste livro a amigos e desconhecidos e veja o resultado. Você poderá se surpreender de forma positiva. E quando der vontade de sair pela tangente, permita-se expressar algumas das opiniões que você costuma guardar para si – aqueles pensamentos agitados e provocadores, sussurrados por uma voz interior. Eles podem até ser um pouco inconvenientes ou invasivos, mas com frequência são justamente os que abrem novos caminhos para a intimidade e a compreensão. A vida pode ser excitante e envolvente quando mergulhamos nos assuntos com que nos importamos de verdade.

Lembre-se, porém, de que essas perguntas não oferecem respostas certas ou erradas, apenas sinceras ou falsas. Você sabe o que realmente faria se tivesse poderes mágicos ou se estivesse em alguma situação estranha? Claro que não. Mas por que se deter por isso? Aqui você pode aprender e ter insights sem de fato viver as experiências descritas. Portanto deixe-se levar por essas situações hipotéticas. Tente se importar com as escolhas que faz. Resista à tentação de fugir dos assuntos polêmicos negando que existem.

Se puder, deixe de lado o ceticismo. Ignore os paradoxos da viagem no tempo, os limites do seu conhecimento e a impossibilidade da magia. Aceite que as condições sejam as que foram apresentadas, que as probabilidades são precisas, que as promessas serão cumpridas e que você sabe disso tudo quando toma suas decisões.

Vá além de um mero “sim” ou “não”. Explique e aprofunde suas respostas. Olhe dentro do seu coração, seja honesto e corajoso, e deixe sua mente se entreter com as escolhas difíceis que encontrar. Se agir assim, essas perguntas vão conduzi-lo a discussões e explorações instigantes, inesperadas e recompensadoras que poderão mudar sua vida. E não deixe escapar qualquer alternativa interessante que possa lhe ocorrer: essas perguntas foram pensadas para ser um ponto de partida, não o destino final.

Quanto mais você se envolver com elas, mais elas o estimularão. Dê asas à imaginação e desempenhe um papel ativo na construção da realidade apresentada em cada pergunta. Enquanto você explora e desafia os seus valores e os dos seus amigos, quem sabe não descobre (como aconteceu comigo) que questionar pode ser um passatempo divertido – e também um estilo de vida?

Introdução

Ainda me lembro das minhas primeiras experiências com algumas das questões deste livro 25 anos atrás: breves interações em cafés que se transformaram em ótimas conversas tête-à-tête, bate-papo com velhos amigos que me deram grandes insights e tardes desanimadas que ganharam vida e me deixaram acordado até altas horas.

Quando O jogo das perguntas foi publicado pela primeira vez, em 1987, Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev estavam no poder. O Muro de Berlim ainda estava de pé. Os brancos governavam a África do Sul. O Prozac tinha acabado de ser lançado. As câmeras digitais, a internet e o Projeto Genoma Humano praticamente não existiam. O World Trade Center ainda despontava no céu de Nova York. Um bom celular pesava 1 quilo e precisava ser carregado após uma hora de conversa.

Tudo era diferente. E nada era diferente. Assim como hoje, as pessoas enfrentavam questões relacionadas a dinheiro e família, amor e perda, esperança e medo. Lutavam contra a doença, a morte, o fracasso e a frustração. Buscavam significado e realização. Conheciam a tentação e a traição. Elas batalhavam, assim como fazemos agora, para deixar sua marca no mundo e entender a si mesmas e aos outros.

Era o tempo certo para debates não sobre assuntos triviais, mas sobre valores e crenças, e O jogo das perguntas apresentava dilemas simples, originais, concretos e acessíveis para provocar a mente e testar o raciocínio acerca de tópicos fundamentais, como vida, amor, dinheiro, sexo, integridade, generosidade, orgulho e morte.

O livro ganhou repercussão e foi traduzido para 18 idiomas, vendeu mais de 2,5 milhões de exemplares, deu origem a um novo gênero de livros de perguntas e conquistou um lugar especial no coração de muita gente.

Os principais desafios da vida hoje não são muito diferentes dos de antigamente, mas a cultura mudou. E também o contexto, a linguagem e o foco. Por isso, fiz esta nova edição, com perguntas que inserem a tecnologia e a sociedade atuais em antigos dilemas.

As perguntas abordam assuntos variados, de modo que, mesmo que você leia todas elas na sequência, vai encontrar tópicos inesperados. Repare nos pontos que o atraem e naqueles dos quais tende a fugir. Nós reagimos com mais emoção a perguntas que se referem a áreas mal resolvidas para nós, por isso aquela que você prefere evitar é provavelmente a pergunta a que deveria prestar mais atenção. Você fica fascinado pelas perguntas sobre saúde e moral? Pula questões de cunho sexual? Por quê?

Com frequência jogamos conversa fora sem nos envolver muito com o interlocutor. Experimente fazer as perguntas deste livro a amigos e desconhecidos e veja o resultado. Você poderá se surpreender de forma positiva. E quando der vontade de sair pela tangente, permita-se expressar algumas das opiniões que você costuma guardar para si – aqueles pensamentos agitados e provocadores, sussurrados por uma voz interior. Eles podem até ser um pouco inconvenientes ou invasivos, mas com frequência são justamente os que abrem novos caminhos para a intimidade e a compreensão. A vida pode ser excitante e envolvente quando mergulhamos nos assuntos com que nos importamos de verdade.

Lembre-se, porém, de que essas perguntas não oferecem respostas certas ou erradas, apenas sinceras ou falsas. Você sabe o que realmente faria se tivesse poderes mágicos ou se estivesse em alguma situação estranha? Claro que não. Mas por que se deter por isso? Aqui você pode aprender e ter insights sem de fato viver as experiências descritas. Portanto deixe-se levar por essas situações hipotéticas. Tente se importar com as escolhas que faz. Resista à tentação de fugir dos assuntos polêmicos negando que existem.

Se puder, deixe de lado o ceticismo. Ignore os paradoxos da viagem no tempo, os limites do seu conhecimento e a impossibilidade da magia. Aceite que as condições sejam as que foram apresentadas, que as probabilidades são precisas, que as promessas serão cumpridas e que você sabe disso tudo quando toma suas decisões.

Vá além de um mero “sim” ou “não”. Explique e aprofunde suas respostas. Olhe dentro do seu coração, seja honesto e corajoso, e deixe sua mente se entreter com as escolhas difíceis que encontrar. Se agir assim, essas perguntas vão conduzi-lo a discussões e explorações instigantes, inesperadas e recompensadoras que poderão mudar sua vida. E não deixe escapar qualquer alternativa interessante que possa lhe ocorrer: essas perguntas foram pensadas para ser um ponto de partida, não o destino final.

Quanto mais você se envolver com elas, mais elas o estimularão. Dê asas à imaginação e desempenhe um papel ativo na construção da realidade apresentada em cada pergunta. Enquanto você explora e desafia os seus valores e os dos seus amigos, quem sabe não descobre (como aconteceu comigo) que questionar pode ser um passatempo divertido – e também um estilo de vida?

LEIA MAIS

Gregory Stock Ph.D.

Sobre o autor

Gregory Stock Ph.D.

Graduado em biofísica, fundou o Programa de Medicina, Tecnologia e Sociedade da Escola de Medicina da Universidade da Califórnia; a Signum Biosciences, empresa de biotecnologia que desenvolve terapias para o Alzheimer; e a Ecoeos, que criou um teste genético para avaliar a vulnerabilidade das pessoas à exposição ao mercúrio. Ele começou a questionar o mundo na infância e nunca mais parou. Escreveu mais de 60 artigos e seis livros, sendo três de perguntas e três sobre tecnologia, ética e políticas públicas. Seus livros de perguntas venderam mais de 4 milhões de exemplares e foram traduzidos para 18 idiomas. O autor já apareceu muitas vezes na mídia para discutir valores morais e é convidado com frequência a participar de programas de TV.  

VER PERFIL COMPLETO