Livro
Livro
NEGÓCIOS

O segredo do talento

O segredo do talento

DANIEL COYLE

52 estratégias para desenvolver suas habilidades

52 estratégias para desenvolver suas habilidades

“Amparado por dados científicos e brilhante por sua simplicidade, este livro é um manual para desenvolver a excelência.” – Charles Duhigg, autor de O poder do hábito 

Quando vemos alguém se destacar em determinada área, logo pensamos que a pessoa já nasceu com um dom para aquela atividade. Mas será que só isso explica o talento? É possível aprimorá-lo sem fazer esforço? O que você pode fazer para melhorar?

Pensando nessas questões, Daniel Coyle visitou e pesquisou inúmeras incubadoras de talentos mundo afora. Investigou as técnicas utilizadas por elas, entrevistou instrutores competentes, associou isso a informações sobre como a mente funciona e chegou à conclusão de que todos têm talentos, mas poucos sabem como desenvolvê-los.

Para organizar todas as informações cientificamente comprovadas obtidas nessa pesquisa, o autor formulou 52 dicas simples e diretas para que qualquer pessoa desenvolva habilidades, seja qual for a sua área — artística, empresarial, esportiva, etc.

Embora a neurociência por trás desse assunto seja complexa, ela parte do princípio básico de que pequenas ações, repetidas ao longo do tempo, podem gerar grandes mudanças e tornar seu cérebro mais rápido.

Conheça algumas dicas:

• É melhor praticar cinco minutos por dia do que uma hora por semana

• Esteja disposto a fazer papel de bobo

• Invente desafios inteligentes e viciantes

• Dê preferência à simplicidade

• Termine sua prática com algo positivo

• Pare antes de ficar exausto

• Guarde as grandes metas em segredo

****

“É EXCELENTE. E MUDA A VIDA DE QUALQUER UM.” – TOM PETERS, coautor de Vencendo a crise

 

Motivação, repetição de treinamentos e prática intensiva são fundamentais para desenvolver o talento. Portanto, para dar início ao processo de aquisição de alguma habilidade, é preciso antes de tudo transformar momentos de inércia em oportunidades de grande aprendizado.

Além disso, somente a prática é capaz de produzir no cérebro uma substância chamada mielina, que acelera a condução dos impulsos nervosos e impede que eles se dispersem. Segundo os pesquisadores, praticar também é essencial para alcançar a excelência.

Daniel Coyle passou cinco anos fazendo pesquisas sobre talento e entendeu de que forma esse processo se desencadeia. A partir daí, formulou estratégias fáceis de serem executadas por aqueles que buscam melhorar em qualquer que seja a atividade.

Para organizar melhor as etapas necessárias até que se chegue a um desempenho ideal, O segredo do talento é dividido em três partes. A primeira mostra como definir metas com clareza e se automotivar. Na segunda, são apresentados métodos e técnicas para conquistar o máximo de progresso no menor tempo possível. A última parte traz dicas para vencer a inércia, continuar motivado e desenvolver bons hábitos.

“Amparado por dados científicos e brilhante por sua simplicidade, este livro é um manual para desenvolver a excelência.” – Charles Duhigg, autor de O poder do hábito 

Quando vemos alguém se destacar em determinada área, logo pensamos que a pessoa já nasceu com um dom para aquela atividade. Mas será que só isso explica o talento? É possível aprimorá-lo sem fazer esforço? O que você pode fazer para melhorar?

Pensando nessas questões, Daniel Coyle visitou e pesquisou inúmeras incubadoras de talentos mundo afora. Investigou as técnicas utilizadas por elas, entrevistou instrutores competentes, associou isso a informações sobre como a mente funciona e chegou à conclusão de que todos têm talentos, mas poucos sabem como desenvolvê-los.

Para organizar todas as informações cientificamente comprovadas obtidas nessa pesquisa, o autor formulou 52 dicas simples e diretas para que qualquer pessoa desenvolva habilidades, seja qual for a sua área — artística, empresarial, esportiva, etc.

Embora a neurociência por trás desse assunto seja complexa, ela parte do princípio básico de que pequenas ações, repetidas ao longo do tempo, podem gerar grandes mudanças e tornar seu cérebro mais rápido.

Conheça algumas dicas:

• É melhor praticar cinco minutos por dia do que uma hora por semana

• Esteja disposto a fazer papel de bobo

• Invente desafios inteligentes e viciantes

• Dê preferência à simplicidade

• Termine sua prática com algo positivo

• Pare antes de ficar exausto

• Guarde as grandes metas em segredo

****

“É EXCELENTE. E MUDA A VIDA DE QUALQUER UM.” – TOM PETERS, coautor de Vencendo a crise

 

Motivação, repetição de treinamentos e prática intensiva são fundamentais para desenvolver o talento. Portanto, para dar início ao processo de aquisição de alguma habilidade, é preciso antes de tudo transformar momentos de inércia em oportunidades de grande aprendizado.

Além disso, somente a prática é capaz de produzir no cérebro uma substância chamada mielina, que acelera a condução dos impulsos nervosos e impede que eles se dispersem. Segundo os pesquisadores, praticar também é essencial para alcançar a excelência.

Daniel Coyle passou cinco anos fazendo pesquisas sobre talento e entendeu de que forma esse processo se desencadeia. A partir daí, formulou estratégias fáceis de serem executadas por aqueles que buscam melhorar em qualquer que seja a atividade.

Para organizar melhor as etapas necessárias até que se chegue a um desempenho ideal, O segredo do talento é dividido em três partes. A primeira mostra como definir metas com clareza e se automotivar. Na segunda, são apresentados métodos e técnicas para conquistar o máximo de progresso no menor tempo possível. A última parte traz dicas para vencer a inércia, continuar motivado e desenvolver bons hábitos.

Compre agora:

Ficha técnica
Lançamento 06/09/2014
Título original
Tradução BRUNO ALEXANDER
Formato 14 x 21 cm
Número de páginas 128
Peso 240 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-431-0139-2
EAN 9788543101392
Preço R$ 24,90
Ficha técnica e-book
eISBN 9788543101408
Preço R$ 17,99
Lançamento 06/09/2014
Título original
Tradução BRUNO ALEXANDER
Formato 14 x 21 cm
Número de páginas 128
Peso 240 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-431-0139-2
EAN 9788543101392
Preço R$ 24,90

E-book

eISBN 9788543101408
Preço R$ 17,99

Leia um trecho do livro

INTRODUÇÃO

A história deste livro

Alguns anos atrás, para escrever um artigo para uma revista, comecei a visitar incubadoras de talentos – pequenos lugares de onde saem muitos profissionais excelentes em áreas como esporte, arte, música, negócios, matemática, entre outras –, tais como:

Um clube de tênis decadente em Moscou que, nos últimos três anos, produziu mais jogadoras importantes do que todos os Estados Unidos.

Um curso de verão onde os alunos aprendiam, em sete semanas, o conteúdo de teoria musical que normalmente assimilariam em um ano.

Uma escola de um bairro pobre de San Mateo, na Califórnia, que, em quatro anos, transformou péssimos alunos de matemática nos melhores do estado.

Uma escola de canto em Dallas que, na última década, produziu inúmeros talentos milionários da música pop.

Uma academia de esqui em Vermont, com capacidade para 100 alunos por temporada, que produziu 50 esquiadores olímpicos nos últimos 40 anos.

Minha busca também me levou a laboratórios e centros de pesquisas que investigam a nova ciência do desenvolvimento de talentos. Por séculos, presumimos que o talento é algo inato, que nasce com a pessoa. Hoje, porém, graças ao trabalho de um grande grupo de cientistas, entre eles o Dr. K. Anders Ericsson, o Dr. Douglas Fields e o Dr. Robert Bjork, as antigas premissas estão sendo derrubadas e substituídas por esta: o talento é determinado mais por nossas ações do que por nossos genes – mais especificamente, pela combinação de prática intensiva e motivação que propicia o desenvolvimento cerebral. Meu projeto transformou-se no livro O código do talento, no qual explico que o sucesso das incubadoras de talentos está em se alinharem com os mecanismos naturais do cérebro que permitem o desenvolvimento das habilidades.

Ao longo da jornada, porém, deparei com uma situa­ção imprevista. Além de jornalista, sou pai de quatro filhos, técnico de beisebol nas horas vagas e marido de uma jogadora de hóquei. Dentro de casa, lutamos diariamente com as questões e ansiedades comuns que giram em torno do processo de adqui­rir e desenvolver habilidades. Como ajudar o filho a aprender a tabuada? Como diferenciar um talento genuíno de um interesse momentâneo? Qual é a melhor forma de motivar? Como incentivar o desenvolvimento sem nos tornarmos pais obsessivos, criando filhos estressados e infelizes? Constatei posteriormente que conhecer aqueles lugares extraordinários me ajudou não só em minha carreira de jornalista, mas também a ser um pai melhor e um treinador melhor.

Tudo começou quando fui visitar minha primeira incubadora de talentos, o clube de tênis Spartak, em Moscou. Assim que cheguei, vi um monte de jogadores treinando com a raquete de forma lenta, sem a bola, seguindo as instruções do professor, que realizava pequenas correções na postura dos alunos. Notei que os treinadores formavam grupos com pessoas de diferentes faixas etárias e também o olhar fascinado dos jovens jogadores, que fitavam as jogadas perfeitas dos veteranos, tentando assimilá-las. Um pensamento começou a ganhar força na minha mente.

Eu poderia usar isso lá em casa.

Daquele momento em diante, sempre que me deparava com algum conselho importante ou um método interessante, anotava-o em um caderno. Escrevi dicas como: Exagere nos movimentos novos; diminua o espaço de prática; e, a minha preferida, tire cochilos. Um ano depois, meu caderno ficou todo preenchido.

A ideia acabou dando certo − e muito, a julgar pelo progresso dos meus filhos nas aulas de piano e violino, pelo desenvolvimento da minha mulher no hóquei e pelo recorde de vitórias do nosso time de beisebol. Após a publicação de O código do talento, fiquei sabendo de grupos que utilizavam os princípios do livro para criar programas de desenvolvimento de talentos, entre eles um de enfermagem de Minnesota, um curso pré-vestibular da Califórnia, uma empresa de softwares, organizações de treinamento militar e várias equipes profissionais de esportes. Continuei viajando, visitando mais professores e acrescentando mais ensinamentos ao caderno. Em determinado momento, cheguei à conclusão de que precisava organizar todas aquelas anotações.

Este livro foi escrito com esse objetivo.

Apresento aqui um conjunto de dicas simples e práticas para desenvolver habilidades, obtidas nas incubadoras de talentos que visitei e com os cientistas que as estudavam. Os conselhos foram testados, possuem base científica e, o mais importante, são concisos. Porque todo mundo − seja você pai, professor, treinador, artista ou empresário − quer aproveitar ao máximo o tempo e a energia de que dispõe.

Como usar este livro

Todos temos talentos, mas não sabemos como desenvolvê-los ao máximo.

Como reconhecer talentos em nós mesmos e nas pessoas à nossa volta? Como desenvolver um talento incipiente? Como progredir no menor intervalo de tempo possível? Como escolher uma estratégia, um mentor, um método?

As respostas a essas perguntas poderão ser encontradas nas dicas e técnicas comprovadamente eficazes que aprendi com as incubadoras de talentos. Elas podem ser classificadas em três categorias, que formam as seções deste livro:

1) Primeiros passos: ideias para conseguir motivação e criar um plano para aprimorar seus talentos.

2) Desenvolvimento das habilidades: métodos e técnicas para alcançar o máximo de aproveitamento no menor tempo possível.

3) Progresso contínuo: estratégias para superar a estagnação, manter a motivação e desenvolver hábitos que façam o sucesso durar.

As dicas são propositadamente simples e diretas. Embora a neurociência por trás desses assuntos seja fascinante e complexa, ela parte do princípio básico de que pequenas ações, repetidas ao longo do tempo, nos transformam. Nas palavras da professora de canto Linda Septien: “Não estamos falando de mágica nem de algo do outro mundo. Tudo se resume a trabalhar duro, e de maneira inteligente.”

Qualquer que seja o talento que você queira desenvolver − para se destacar em um esporte, aprender um idioma ou tocar um instrumento −, esteja certo de uma coisa: você nasceu com todas as ferramentas necessárias para transformar a falta de jeito de iniciante em fluência e eficiência. Essas ferramentas não são determinadas por genes, mas por você mesmo, que, por meio da prática constante e adequada ao seu estilo de vida, poderá alcançar a excelência.

INTRODUÇÃO

A história deste livro

Alguns anos atrás, para escrever um artigo para uma revista, comecei a visitar incubadoras de talentos – pequenos lugares de onde saem muitos profissionais excelentes em áreas como esporte, arte, música, negócios, matemática, entre outras –, tais como:

Um clube de tênis decadente em Moscou que, nos últimos três anos, produziu mais jogadoras importantes do que todos os Estados Unidos.

Um curso de verão onde os alunos aprendiam, em sete semanas, o conteúdo de teoria musical que normalmente assimilariam em um ano.

Uma escola de um bairro pobre de San Mateo, na Califórnia, que, em quatro anos, transformou péssimos alunos de matemática nos melhores do estado.

Uma escola de canto em Dallas que, na última década, produziu inúmeros talentos milionários da música pop.

Uma academia de esqui em Vermont, com capacidade para 100 alunos por temporada, que produziu 50 esquiadores olímpicos nos últimos 40 anos.

Minha busca também me levou a laboratórios e centros de pesquisas que investigam a nova ciência do desenvolvimento de talentos. Por séculos, presumimos que o talento é algo inato, que nasce com a pessoa. Hoje, porém, graças ao trabalho de um grande grupo de cientistas, entre eles o Dr. K. Anders Ericsson, o Dr. Douglas Fields e o Dr. Robert Bjork, as antigas premissas estão sendo derrubadas e substituídas por esta: o talento é determinado mais por nossas ações do que por nossos genes – mais especificamente, pela combinação de prática intensiva e motivação que propicia o desenvolvimento cerebral. Meu projeto transformou-se no livro O código do talento, no qual explico que o sucesso das incubadoras de talentos está em se alinharem com os mecanismos naturais do cérebro que permitem o desenvolvimento das habilidades.

Ao longo da jornada, porém, deparei com uma situa­ção imprevista. Além de jornalista, sou pai de quatro filhos, técnico de beisebol nas horas vagas e marido de uma jogadora de hóquei. Dentro de casa, lutamos diariamente com as questões e ansiedades comuns que giram em torno do processo de adqui­rir e desenvolver habilidades. Como ajudar o filho a aprender a tabuada? Como diferenciar um talento genuíno de um interesse momentâneo? Qual é a melhor forma de motivar? Como incentivar o desenvolvimento sem nos tornarmos pais obsessivos, criando filhos estressados e infelizes? Constatei posteriormente que conhecer aqueles lugares extraordinários me ajudou não só em minha carreira de jornalista, mas também a ser um pai melhor e um treinador melhor.

Tudo começou quando fui visitar minha primeira incubadora de talentos, o clube de tênis Spartak, em Moscou. Assim que cheguei, vi um monte de jogadores treinando com a raquete de forma lenta, sem a bola, seguindo as instruções do professor, que realizava pequenas correções na postura dos alunos. Notei que os treinadores formavam grupos com pessoas de diferentes faixas etárias e também o olhar fascinado dos jovens jogadores, que fitavam as jogadas perfeitas dos veteranos, tentando assimilá-las. Um pensamento começou a ganhar força na minha mente.

Eu poderia usar isso lá em casa.

Daquele momento em diante, sempre que me deparava com algum conselho importante ou um método interessante, anotava-o em um caderno. Escrevi dicas como: Exagere nos movimentos novos; diminua o espaço de prática; e, a minha preferida, tire cochilos. Um ano depois, meu caderno ficou todo preenchido.

A ideia acabou dando certo − e muito, a julgar pelo progresso dos meus filhos nas aulas de piano e violino, pelo desenvolvimento da minha mulher no hóquei e pelo recorde de vitórias do nosso time de beisebol. Após a publicação de O código do talento, fiquei sabendo de grupos que utilizavam os princípios do livro para criar programas de desenvolvimento de talentos, entre eles um de enfermagem de Minnesota, um curso pré-vestibular da Califórnia, uma empresa de softwares, organizações de treinamento militar e várias equipes profissionais de esportes. Continuei viajando, visitando mais professores e acrescentando mais ensinamentos ao caderno. Em determinado momento, cheguei à conclusão de que precisava organizar todas aquelas anotações.

Este livro foi escrito com esse objetivo.

Apresento aqui um conjunto de dicas simples e práticas para desenvolver habilidades, obtidas nas incubadoras de talentos que visitei e com os cientistas que as estudavam. Os conselhos foram testados, possuem base científica e, o mais importante, são concisos. Porque todo mundo − seja você pai, professor, treinador, artista ou empresário − quer aproveitar ao máximo o tempo e a energia de que dispõe.

Como usar este livro

Todos temos talentos, mas não sabemos como desenvolvê-los ao máximo.

Como reconhecer talentos em nós mesmos e nas pessoas à nossa volta? Como desenvolver um talento incipiente? Como progredir no menor intervalo de tempo possível? Como escolher uma estratégia, um mentor, um método?

As respostas a essas perguntas poderão ser encontradas nas dicas e técnicas comprovadamente eficazes que aprendi com as incubadoras de talentos. Elas podem ser classificadas em três categorias, que formam as seções deste livro:

1) Primeiros passos: ideias para conseguir motivação e criar um plano para aprimorar seus talentos.

2) Desenvolvimento das habilidades: métodos e técnicas para alcançar o máximo de aproveitamento no menor tempo possível.

3) Progresso contínuo: estratégias para superar a estagnação, manter a motivação e desenvolver hábitos que façam o sucesso durar.

As dicas são propositadamente simples e diretas. Embora a neurociência por trás desses assuntos seja fascinante e complexa, ela parte do princípio básico de que pequenas ações, repetidas ao longo do tempo, nos transformam. Nas palavras da professora de canto Linda Septien: “Não estamos falando de mágica nem de algo do outro mundo. Tudo se resume a trabalhar duro, e de maneira inteligente.”

Qualquer que seja o talento que você queira desenvolver − para se destacar em um esporte, aprender um idioma ou tocar um instrumento −, esteja certo de uma coisa: você nasceu com todas as ferramentas necessárias para transformar a falta de jeito de iniciante em fluência e eficiência. Essas ferramentas não são determinadas por genes, mas por você mesmo, que, por meio da prática constante e adequada ao seu estilo de vida, poderá alcançar a excelência.

LEIA MAIS

Daniel Coyle

Sobre o autor

Daniel Coyle

Jornalista e editor da publicação Outside. Já foi duas vezes finalista do renomado National Magazine Award, que premia artigos publicados exclusivamente em revistas. É também autor de O código do talento, que alcançou a lista dos livros mais vendidos do The New York Times.

VER PERFIL COMPLETO

Outros títulos de Daniel Coyle