ESTAÇÃO BRASIL

A independência vem com a leitura: sugestões para redescobrir a história do Brasil

A independência vem com a leitura: sugestões para redescobrir a história do Brasil

|

Compartilhe esse texto: Email
A independência vem com a leitura: sugestões para redescobrir a história do Brasil

Neste 7 de setembro, quando se comemora o Dia da Independência, conheça sete caminhos literários para conhecer a história do país. Livros de Eduardo Bueno, Mary Del Priore e Jorge Caldeira estão entre as sugestões.

Imortalizada em quadros, livros e no hino nacional, a passagem clássica do Dia da Independência é a de Dom Pedro I às margens do rio Ipiranga. Ali, ele proferiu três palavras que sobreviveram ao tempo e marcaram nossa história: “Independência ou morte!”. Nesse instante, o sol da liberdade, em raios fúlgidos, brilhou no céu da pátria. Quem não cantou algo assim com a mão no peito? Independência, meus caros.

Mas a realidade desse acontecimento retumbante foi um pouco diferente e traz, no mínimo, um detalhe insólito: Dom Pedro parou às margens do Ipiranga para se aliviar de uma diarreia. Essa, sim, retumbante. É o que nos conta Eduardo Bueno em livros e neste vídeo. Ali, ficou sabendo dos planos de Portugal de transformar o Brasil novamente em colônia. Então, disse o que disse em cima de uma mula, não de um cavalo, como Pedro Américo retratou em tom épico em seu famoso quadro. São retoques de uma história aumentada e modificada ao longo do tempo.

Com a proximidade da data (em 2019, o 7 de setembro cai no sábado), separamos sete caminhos para redescobrir a história do Brasil, incluindo os criados por Bueno.

1 – O país e seu princípio: coleção com quatro livros

Se a redescoberta do Brasil passa pela leitura, a obra de Eduardo Bueno é um ponto de partida dos mais interessantes. Nela, como não poderia deixar de ser, a história se mantém fiel aos fatos – com datas, nomes e eventos destacados -, mas desliza com uma escrita leve e bem-humorada. As marcas estão também preservadas na versão youtuber do carismático jornalista, como prova seu canal com mais de 500 mil seguidores

De fato, há tempos o trabalho de escavação de Bueno fisga novos leitores, e os motivos dessa adesão podem ser encontrados na Coleção Brasilis, da Sextante. Os títulos, juntos, percorrem séculos de conquistas, avanços e reviravoltas da nossa história, repleta de personagens e episódios marcantes, embora muitos tenham se desprendido do imaginário popular. Bueno os resgata e faz isso com uma riqueza de detalhes que impressiona. São quatro paradas no caminho: A viagem do descobrimento, Náufragos, traficantes e degredados, Capitães do Brasil e A coroa, a cruz e a espada

2- Bonifácio, personagem fundamental da Independência

Uma das mais prestigiadas historiadoras do país, Mary Del Priore nos apresenta As vidas de José Bonifácio. Desde o título, ela deixa evidente a elasticidade dessa figura que se destacou pela capacidade de se reinventar na vida e, claro, na história. A data comemorativa é um excelente motivo para se debruçar sobre os caminhos de Bonifácio, na Europa e no Brasil, já que ele foi um dos articulistas da Independência. Ao avançar pelas páginas, o leitor conhece tanto a personalidade do homem ambicioso, cujo sonho era ser fidalgo, quanto compreende a construção do personagem que ficou para a posteridade. A trajetória dele é salpicada por curiosidades sobre o comportamento e a cultura da época. 

3 – O atraso que nos afasta do futuro: uma leitura crítica do Brasil

O sociólogo Jessé Souza faz uma necessária provocação em A elite do atraso. No contundente livro, o autor desloca e redimensiona os problemas do país a partir da constatação de que a escravidão é o elemento catalisador da nossa desigualdade. Uma desigualdade atualizada, como ele reforça, já que o escravo foi substituído pelo pobre. A nova versão da obra originalmente lançada em 2017, agora revista e ampliada, chega ao país da Lava-Jato e de Jair Bolsonaro como presidente. Vale ainda combinar essa leitura com outro título de Souza, A classe média no espelho, no qual ele desconstrói o conceito de classe e abre espaço para uma discussão mais aprofundada sobre privilégios. 

4- De quem o Brasil não lembra

Em teoria, o trabalho da história pressupõe um processo de resgate, embora ele insista em padecer no esquecimento. Nesse sentido, Achados & Perdidos da História: Escravos, de Leandro Narloch, traz uma semente de lembrança ao narrar a biografia de 28 brasileiros. Todos atravessados pela escravidão e, consequentemente, pela violência e pelo silenciamento intrínsecos ao regime escravagista. Aqui, cabe lembrar que o Brasil foi um dos últimos países do mundo a abolir a escravidão, e as consequência disso são reverberadas intensamente nos dias de hoje. Diz muito sobre quem somos. “A conclusão a que o leitor provavelmente chegará ao final é que não houve só uma escravidão no Brasil”, aponta o autor.

5 – O Brasil contado pela ótica do dinheiro

História da riqueza no Brasil repassa mais de 500 anos de história oficial a partir de números e cifras. A assinatura de Jorge Caldeira é garantia do rigor que a empreitada merece. A economia está, sim, no centro dessa reconstituição, mas o livro jamais se torna dependente do economês. Ou seja, até os desacostumados com jargões e noções da área vão acompanhar os desdobramentos sem dificuldade. O livro, um grandioso estudo sobre o poder, destaca como diferentes governos lidaram com questões financeiras, apontando erros e acertos que ajudam a entender o nosso presente. 

6 – Quem foi de aço nos anos de chumbo

A história já é bastante famosa, deu origem ao filme homônimo indicado ao Oscar em 1998, mas O que é isso, companheiro? é um livro sem data para deixar de ser redescoberto. Permanece forte e como um produto de valor histórico inegável sobre um dos períodos mais tristes e obscuros da nossa história, a ditadura militar. Após anos no exílio, Fernando Gabeira escreveu suas memórias sobre a época, numa narrativa que culmina no sequestro do embaixador norte-americano Charles Elbric. O livro, contudo,  é muito mais que um thriller policial. Os interessados em acompanhar os passos literários de Gabeira podem ainda conferir Democracia tropical, uma reflexão sobre a política no país desde as Diretas Já.

7 – Uma comédia de erros com a assinatura do Casseta & Planeta Pedida para quem sente falta do humor do Casseta & Planeta na televisão, Brasil do Cassetaé um louco exercício de embaralhamento histórico. Pela ótica da trupe, a seriedade enfadonha passa ao largo. Em troca, surgem as ironias, os deboches e as mensagens de duplo sentido (ou triplo sentido, sei lá), embalados numa escrita politicamente incorreta, dividida em 30 capítulos. Certamente, não é a opção mais indicada para quem deseja fontes históricas. A proposta aqui é perder a prova, mas não perder a piada. O grupo está aqui para rir de nossas falhas trágicas, afinal “se Deus é brasileiro, só pode estar de sacanagem”.

Este post foi escrito por:

Filipe Isensee

Filipe é jornalista, especialista em jornalismo cultural e mestrando do curso de Cinema e Audiovisual da UFF. Nasceu em Salvador, foi criado em Belo Horizonte e há oito anos mora no Rio de Janeiro, onde passou pelas redações dos jornais Extra e O Globo. Gosta de escrever: roteiros, dramaturgias, outras prosas e alguns poucos versos estão em seu radar.

Este post foi escrito por:

Filipe Isensee

Filipe é jornalista, especialista em jornalismo cultural e mestrando do curso de Cinema e Audiovisual da UFF. Nasceu em Salvador, foi criado em Belo Horizonte e há oito anos mora no Rio de Janeiro, onde passou pelas redações dos jornais Extra e O Globo. Gosta de escrever: roteiros, dramaturgias, outras prosas e alguns poucos versos estão em seu radar.

Livro

Eduardo Bueno

Escritor, jornalista, editor e tradutor. Com a coleção Brasilis, que reúne A viagem do descobrimentoNáufragos, traficantes e degredadosCapitães do Brasil e A coroa, a cruz e a espada, tornou-se o primeiro autor brasileiro a emplacar simultaneamente quatro títulos entre os cinco primeiros nas listas de mais vendidos dos principais jornais e revistas do país.

Ao longo das décadas de 1980 e 1990, editou mais de 200 títulos, de autores brasileiros e estrangeiros, tendo colaborado com algumas das principais editoras brasileiras.

Como jornalista, trabalhou nos principais veículos de comunicação, entre eles a Rede Globo, a TV Cultura, a TVE-RS e os jornais O Estado de S. Paulo e Zero Hora. Já dirigiu e estrelou um programa sobre história do Brasil no Fantástico, da TV Globo, e foi o primeiro apresentador do History Channel no Brasil. Eduardo Bueno ganhou dezenas de prêmios, dentre eles o Jabuti, em 1999, e a Ordem do Mérito Cultural, comenda concedida pelo Ministério da Cultura do governo federal.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Mary Del Priore

Autora de mais de cinquenta livros de História do Brasil e vencedora de mais de vinte prêmios nacionais e internacionais, entre os quais três Jabutis. Colabora com jornais científicos e não científicos, nacionais e internacionais. É membro de instituições como a Academia Carioca de Letras, o PEN Clube do Brasil e o PEN International, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, além de órgãos internacionais como a Academia Real de História da Espanha. Ex-professora de História da FFLCH-USP e da PUC-RJ, atualmente leciona no curso de pós-graduação de História da Universidade Salgado de Oliveira.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Jessé Souza

Graduado em direito e mestre em sociologia pela Universidade de Brasília, a UnB, doutor em sociologia pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha, e fez pós-doutorado em psicanálise e  filosofia na New School for Social Research, em Nova York. É autor de mais de 20 livros e de artigos e ensaios em vários idiomas. Entre seus maiores sucessos, se destacam A tolice da inteligência brasileiraA radiogra a do golpeSubcidadania brasileira e A elite do atraso (LeYa); A ralé brasileira (Contracorrente); e Os batalhadores brasileiros (Editora UFMG). Atualmente é professor titular de sociologia da Universidade Federal do ABC.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Jessé Souza

Graduado em direito e mestre em sociologia pela Universidade de Brasília, a UnB, doutor em sociologia pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha, e fez pós-doutorado em psicanálise e  filosofia na New School for Social Research, em Nova York. É autor de mais de 20 livros e de artigos e ensaios em vários idiomas. Entre seus maiores sucessos, se destacam A tolice da inteligência brasileiraA radiogra a do golpeSubcidadania brasileira e A elite do atraso (LeYa); A ralé brasileira (Contracorrente); e Os batalhadores brasileiros (Editora UFMG). Atualmente é professor titular de sociologia da Universidade Federal do ABC.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Leandro Narloch

Jornalista nascido em Curitiba em 1978. Foi repórter e editor de diversas revistas, como Aventuras na HistóriaSuperinteressante Veja. Seus livros, entre eles o Guia politicamente incorreto da história do Brasil, venderam mais de um milhão de exemplares. É colunista da Folha de S.Paulo e mestre em Filosofia pela Universidade de Londres.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Jorge Caldeira

Nasceu em São Paulo, em 1955. É doutor em Ciência Política, mestre em Sociologia e bacharel em Ciências Sociais (FFLCH–USP). Sóciofundador da Mameluco Edições e Produções Culturais, é escritor e possui ampla experiência profissional na área jornalística e editorial. Foi publisher da revista Bravo!, consultor do projeto Brasil 500 Anos, da Rede Globo de Televisão, editor-executivo da revista Exame, editor do caderno Ilustrada e da Revista da Folha, do jornal Folha de S.Paulo, editor de economia da revista IstoÉ e editor da revista Estudos Cebrap. É autor de Noel Rosa: de costas para o mar(Brasiliense), Mauá: empresário do Império e Viagem pela história do Brasil (Companhia das Letras), A nação mercantilista e Ronaldo: glória e drama no futebol globalizado (Editora 34), O banqueiro do sertãoA construção do samba e História do Brasil com empreendedores (Mameluco), além de organizador dos volumes Diogo Antônio Feijó e José Bonifácio de Andrada e Silva, que integram a coleção Formadores do Brasil (Lance!/Editora 34), e do livro Brasil: a história contada por quem viu (Mameluco). Ocupa a cadeira nº 18 da Academia Paulista de Letras.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Fernando Gabeira

Começou sua carreira jornalística como repórter no Jornal do Brasil. Em 1970, preso em São Paulo pela ditadura militar, foi para o exílio e passou por vários países, entre eles o Chile, a Suécia e a Itália. Em 1979, ano em que retornou ao Brasil, Gabeira voltou a atuar como jornalista e escritor. Foi candidato ao governo do Rio de Janeiro em 1986. Foi eleito deputado federal em 1994 e reeleito em 1998 e em 2002. Gabeira dedicou-se a uma intensa produção literária, construindo as primeiras análises críticas da luta armada e impulsionando discussões sobre temas como as liberdades individuais e a ecologia. Livros como O crepúsculo do macho, Entradas e bandeiras, Hóspede da utopia, Nós que amávamos tanto a revolução e Vida alternativa apontaram novos horizontes no campo das mentalidades e colocaram na berlinda uma série de velhos conceitos da vida brasileira.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Fernando Gabeira

Começou sua carreira jornalística como repórter no Jornal do Brasil. Em 1970, preso em São Paulo pela ditadura militar, foi para o exílio e passou por vários países, entre eles o Chile, a Suécia e a Itália. Em 1979, ano em que retornou ao Brasil, Gabeira voltou a atuar como jornalista e escritor. Foi candidato ao governo do Rio de Janeiro em 1986. Foi eleito deputado federal em 1994 e reeleito em 1998 e em 2002. Gabeira dedicou-se a uma intensa produção literária, construindo as primeiras análises críticas da luta armada e impulsionando discussões sobre temas como as liberdades individuais e a ecologia. Livros como O crepúsculo do macho, Entradas e bandeiras, Hóspede da utopia, Nós que amávamos tanto a revolução e Vida alternativa apontaram novos horizontes no campo das mentalidades e colocaram na berlinda uma série de velhos conceitos da vida brasileira.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Casseta & Planeta

O grupo Casseta & Planeta surgiu nos anos 1980 com a união dos redatores da revista Casseta Popular e do jornal Planeta Diário. A parceria acabou se ampliando em 1988, quando os sete integrantes – incluindo Bussunda – trabalharam na redação do programa humorístico TV Pirata, da Rede Globo. Em 1991, estrearam em frente às câmeras no programa Doris Para Maiores, da Globo. No ano seguinte criaram, na mesma emissora, o Casseta & Planeta, Urgente!, no qual eram autores e atores. Com o lema “Jornalismo mentira, humorismo verdade”, a atração ficou no ar até 2010, sendo seguida por duas temporadas de Casseta & Planeta Vai Fundo. O grupo fez shows pelo Brasil, lançou três CDs, diversos livros e dois filmes: A Taça do Mundo É Nossa e Seus Problemas Acabaram. Seu trabalho mais recente é a série Procurando Casseta & Planeta, do Multishow

VER PERFIL COMPLETO
Livro

“Ao escrever com foco global e grande riqueza narrativa, Eduardo Bueno permite que o leitor se delicie com a dialética entre o particular e o geral, o local e o mundial – afinal a característica nova para os encontros humanos que essa viagem do descobrimento efetivamente permitiu. Uma leitura imperdível.” – Jorge Caldeira, autor de Mauá, […]

Eduardo Bueno

Escritor, jornalista, editor e tradutor. Com a coleção Brasilis, que reúne A viagem do descobrimentoNáufragos, traficantes e degredadosCapitães do Brasil e A coroa, a cruz e a espada, tornou-se o primeiro autor brasileiro a emplacar simultaneamente quatro títulos entre os cinco primeiros nas listas de mais vendidos dos principais jornais e revistas do país.

Ao longo das décadas de 1980 e 1990, editou mais de 200 títulos, de autores brasileiros e estrangeiros, tendo colaborado com algumas das principais editoras brasileiras.

Como jornalista, trabalhou nos principais veículos de comunicação, entre eles a Rede Globo, a TV Cultura, a TVE-RS e os jornais O Estado de S. Paulo e Zero Hora. Já dirigiu e estrelou um programa sobre história do Brasil no Fantástico, da TV Globo, e foi o primeiro apresentador do History Channel no Brasil. Eduardo Bueno ganhou dezenas de prêmios, dentre eles o Jabuti, em 1999, e a Ordem do Mérito Cultural, comenda concedida pelo Ministério da Cultura do governo federal.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

MARY DEL PRIORE É AUTORA DE MAIS DE CINQUENTA LIVROS DE HISTÓRIA DO BRASIL E VENCEDORA DE MAIS DE VINTE PRÊMIOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS, ENTRE OS QUAIS TRÊS JABUTIS.   “O Brasil não precisa de heróis ou ídolos, pois, bem sabemos, eles têm pés de barro. O que precisa é conhecer a história de homens […]

Mary Del Priore

Autora de mais de cinquenta livros de História do Brasil e vencedora de mais de vinte prêmios nacionais e internacionais, entre os quais três Jabutis. Colabora com jornais científicos e não científicos, nacionais e internacionais. É membro de instituições como a Academia Carioca de Letras, o PEN Clube do Brasil e o PEN International, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, além de órgãos internacionais como a Academia Real de História da Espanha. Ex-professora de História da FFLCH-USP e da PUC-RJ, atualmente leciona no curso de pós-graduação de História da Universidade Salgado de Oliveira.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

BEST-SELLER COM MAIS DE 70 MIL EXEMPLARES VENDIDOS, AGORA EM EDIÇÃO REVISTA E ATUALIZADA, ESTE LIVRO É UM NOVO CLÁSSICO DO PENSAMENTO BRASILEIRO. A ELITE DO ATRASO APRESENTA UMA INTERPRETAÇÃO ABRANGENTE, INOVADORA E OUSADA DA SOCIEDADE BRASILEIRA QUE A CADA DIA GANHA NOVOS ADEPTOS. Quem é a elite do atraso? Como pensa e age essa parcela da […]

Jessé Souza

Graduado em direito e mestre em sociologia pela Universidade de Brasília, a UnB, doutor em sociologia pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha, e fez pós-doutorado em psicanálise e  filosofia na New School for Social Research, em Nova York. É autor de mais de 20 livros e de artigos e ensaios em vários idiomas. Entre seus maiores sucessos, se destacam A tolice da inteligência brasileiraA radiogra a do golpeSubcidadania brasileira e A elite do atraso (LeYa); A ralé brasileira (Contracorrente); e Os batalhadores brasileiros (Editora UFMG). Atualmente é professor titular de sociologia da Universidade Federal do ABC.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Em sua primeira obra inédita depois do sucesso de A elite do atraso, de 2017, Jessé Souza se dedica a compreender a classe média brasileira. Visão original e inovadora dessa classe fundamental da sociedade, o livro conta com um imenso e rico material, resultado de centenas de entrevistas realizadas com pessoas das mais variadas frações da […]

Jessé Souza

Graduado em direito e mestre em sociologia pela Universidade de Brasília, a UnB, doutor em sociologia pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha, e fez pós-doutorado em psicanálise e  filosofia na New School for Social Research, em Nova York. É autor de mais de 20 livros e de artigos e ensaios em vários idiomas. Entre seus maiores sucessos, se destacam A tolice da inteligência brasileiraA radiogra a do golpeSubcidadania brasileira e A elite do atraso (LeYa); A ralé brasileira (Contracorrente); e Os batalhadores brasileiros (Editora UFMG). Atualmente é professor titular de sociologia da Universidade Federal do ABC.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Com mais de um milhão de livros vendidos, Leandro Narloch inaugura com Escravos a coleção Achados & Perdidos da História, que tem o objetivo de resgatar biografias de personagens diversos – conhecidos ou anônimos – que retratam momentos fundamentais da humanidade. A coleção contará a história do Brasil e do mundo por meio de histórias de vida. […]

Leandro Narloch

Jornalista nascido em Curitiba em 1978. Foi repórter e editor de diversas revistas, como Aventuras na HistóriaSuperinteressante Veja. Seus livros, entre eles o Guia politicamente incorreto da história do Brasil, venderam mais de um milhão de exemplares. É colunista da Folha de S.Paulo e mestre em Filosofia pela Universidade de Londres.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

“História da riqueza no Brasil é ao mesmo tempo tão monumental quanto síntese. Há algumas definitivas, como as do trio Gilberto Freyre- Sérgio Buarque de Holanda-Caio Prado. A diferença? São mais de quinhentos anos relidos e explicados em nova chave. Pois para realizar a sua, Caldeira serviu-se de disciplinas vizinhas, a antropologia e a econometria, enriquecendo […]

Jorge Caldeira

Nasceu em São Paulo, em 1955. É doutor em Ciência Política, mestre em Sociologia e bacharel em Ciências Sociais (FFLCH–USP). Sóciofundador da Mameluco Edições e Produções Culturais, é escritor e possui ampla experiência profissional na área jornalística e editorial. Foi publisher da revista Bravo!, consultor do projeto Brasil 500 Anos, da Rede Globo de Televisão, editor-executivo da revista Exame, editor do caderno Ilustrada e da Revista da Folha, do jornal Folha de S.Paulo, editor de economia da revista IstoÉ e editor da revista Estudos Cebrap. É autor de Noel Rosa: de costas para o mar(Brasiliense), Mauá: empresário do Império e Viagem pela história do Brasil (Companhia das Letras), A nação mercantilista e Ronaldo: glória e drama no futebol globalizado (Editora 34), O banqueiro do sertãoA construção do samba e História do Brasil com empreendedores (Mameluco), além de organizador dos volumes Diogo Antônio Feijó e José Bonifácio de Andrada e Silva, que integram a coleção Formadores do Brasil (Lance!/Editora 34), e do livro Brasil: a história contada por quem viu (Mameluco). Ocupa a cadeira nº 18 da Academia Paulista de Letras.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Quase quarenta anos depois da publicação de sua primeira edição, O que é isso, companheiro?, que foi adaptado por Bruno Barreto para o cinema em 1997, continua sendo um dos mais contundentes documentos históricos já produzidos acerca do período militar. “Este é o livro de um homem correndo da polícia, tentando compreender como é que se […]

Fernando Gabeira