Livro
Livro
AUTOAJUDA

Eu sou as escolhas que faço

Eu sou as escolhas que faço

ELLE LUNA

Como resolver o dilema entre o que o mundo espera de você e o que você quer do mundo

Como resolver o dilema entre o que o mundo espera de você e o que você quer do mundo

“O entusiasmo contagiante de Elle vai inspirar você a fazer a coisa mais ousada que puder na vida: ser quem você é de verdade.” – Evan Williams, cofundador do Twitter e fundador do Medium

“Como transformar o fogo interior em combustível para a felicidade é o que a designer Elle Luna explora em seu livro, um manifesto ilustrado, inteligente e empolgante.” – Maria Popova, criadora do site Brain Pickings

Há dois caminhos na vida: o caminho da segurança e o da paixão. Sempre encontramos essa encruzilhada. E, todos os dias, fazemos uma escolha.

Que escolha você tem feito?

Cada um de nós tem um potencial único que nos foi dado ao nascer, mas se vamos cultivá-lo ou não depende apenas de nós mesmos. Em seu sentido mais puro, a paixão é a razão por estarmos aqui – e escolher segui-la é a jornada mais importante da nossa vida.

***

Esta é uma história sobre dois caminhos: a segurança e a paixão.

É uma conversa estimulante para quem escolheu a segurança durante muito tempo – meses, anos, talvez a vida inteira – e sente que está na hora de abraçar a paixão.

Assim começa o ensaio que a designer e ilustradora Elle Luna publicou no site Medium.com, em abril de 2014. Em poucas semanas, o texto viralizou na internet, foi compartilhado por mais de cinco milhões de usuários do Twitter e lido por 250 milhões de pessoas. Mas o que aquele texto tinha de tão especial?

No manifesto – que acabou sendo expandido e transformado neste livro –, Elle parte de sua experiência pessoal para inspirar os leitores a traçar uma nova trajetória de vida, deixando para trás as escolhas convenientes e criando um futuro que represente sua verdadeira identidade.

Isso significa se arriscar em novas atividades, abandonar velhos hábitos, repensar antigas crenças e dar voz àquilo que você sempre sonhou fazer. Porque é possível viver da nossa paixão – embora nem sempre seja fácil.

Em um livro totalmente colorido e ilustrado, Elle mostra os desafios, os obstáculos e os medos que costumam impedir nosso progresso. Mas nos ensina a encontrar soluções criativas para superar cada um deles. Eu sou as escolhas que faço traz uma mensagem universal: nunca é tarde para empreender essa jornada de transformação. Por meio de pequenas decisões diárias e adotando novas perspectivas, podemos realizar a mudança mais significativa de nossa vida. A melhor coisa que podemos fazer por nós mesmos é descobrir o que temos de especial a dar ao mundo e depois agir para colocar isso em prática.

Muitas pessoas felizes e realizadas já trilharam esse caminho. Aqui vamos descobrir como fazer isso também.

“O entusiasmo contagiante de Elle vai inspirar você a fazer a coisa mais ousada que puder na vida: ser quem você é de verdade.” – Evan Williams, cofundador do Twitter e fundador do Medium

“Como transformar o fogo interior em combustível para a felicidade é o que a designer Elle Luna explora em seu livro, um manifesto ilustrado, inteligente e empolgante.” – Maria Popova, criadora do site Brain Pickings

Há dois caminhos na vida: o caminho da segurança e o da paixão. Sempre encontramos essa encruzilhada. E, todos os dias, fazemos uma escolha.

Que escolha você tem feito?

Cada um de nós tem um potencial único que nos foi dado ao nascer, mas se vamos cultivá-lo ou não depende apenas de nós mesmos. Em seu sentido mais puro, a paixão é a razão por estarmos aqui – e escolher segui-la é a jornada mais importante da nossa vida.

***

Esta é uma história sobre dois caminhos: a segurança e a paixão.

É uma conversa estimulante para quem escolheu a segurança durante muito tempo – meses, anos, talvez a vida inteira – e sente que está na hora de abraçar a paixão.

Assim começa o ensaio que a designer e ilustradora Elle Luna publicou no site Medium.com, em abril de 2014. Em poucas semanas, o texto viralizou na internet, foi compartilhado por mais de cinco milhões de usuários do Twitter e lido por 250 milhões de pessoas. Mas o que aquele texto tinha de tão especial?

No manifesto – que acabou sendo expandido e transformado neste livro –, Elle parte de sua experiência pessoal para inspirar os leitores a traçar uma nova trajetória de vida, deixando para trás as escolhas convenientes e criando um futuro que represente sua verdadeira identidade.

Isso significa se arriscar em novas atividades, abandonar velhos hábitos, repensar antigas crenças e dar voz àquilo que você sempre sonhou fazer. Porque é possível viver da nossa paixão – embora nem sempre seja fácil.

Em um livro totalmente colorido e ilustrado, Elle mostra os desafios, os obstáculos e os medos que costumam impedir nosso progresso. Mas nos ensina a encontrar soluções criativas para superar cada um deles. Eu sou as escolhas que faço traz uma mensagem universal: nunca é tarde para empreender essa jornada de transformação. Por meio de pequenas decisões diárias e adotando novas perspectivas, podemos realizar a mudança mais significativa de nossa vida. A melhor coisa que podemos fazer por nós mesmos é descobrir o que temos de especial a dar ao mundo e depois agir para colocar isso em prática.

Muitas pessoas felizes e realizadas já trilharam esse caminho. Aqui vamos descobrir como fazer isso também.

Compre agora:

Ficha técnica
Lançamento 01/07/2016
Título original THE CROSSROADS OF SHOULD AND MUST
Tradução ANA BAN
Formato 16 x 23 cm
Número de páginas 176
Peso 250 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-431-0371-6
EAN 9788543103716
Preço R$ 44,90
Ficha técnica e-book
eISBN 9788543103723
Preço R$ 24,99
Lançamento 01/07/2016
Título original THE CROSSROADS OF SHOULD AND MUST
Tradução ANA BAN
Formato 16 x 23 cm
Número de páginas 176
Peso 250 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-431-0371-6
EAN 9788543103716
Preço R$ 44,90

E-book

eISBN 9788543103723
Preço R$ 24,99

Leia um trecho do livro

Introdução

Nós compartilhamos coisas na internet. Todos os dias. O tempo todo. Mas havia algo de diferente naquela coisa. Tão diferente que, em poucas semanas, o texto tinha sido retuitado por mais de cinco milhões de usuários e lido por 250 mil pessoas.

“Largue tudo o que você está fazendo e leia isto agora”, postou uma mulher. “Este texto mudou a minha vida”, escreveu outra. “Eu estava prestes a mandar o texto para todos os meus funcionários”, afirmou um CEO, “mas supus que um terço deles iria pedir demissão quando terminasse de ler. Quer saber de uma coisa? Se eles não querem estar aqui, prefiro que peçam demissão – então mandei.”

Recebi uma enxurrada de e-mails. Novas mensagens não paravam de chegar em meu celular. O texto se espalhou depressa pela internet, se tornou viral e, bem, aqui estamos nós. Resolvi escrever este livro por causa das pessoas que compartilharam sua história comigo e pela dor e a coragem de sua luta. Eram mulheres de 30 e poucos anos. Homens de 20 e poucos. Um aluno no fim do ensino médio. Pais. Uma viúva. Mães que criam os filhos sozinhas. Milionários que já foram pobres. Pobres que já foram milionários. Professores. Advogados. Um músico disfarçado de advogado. Um poeta que adorava dirigir ônibus. Mulheres que não queriam engravidar. Homens que queriam criar os filhos. Pessoas que se sentiam presas ao trabalho e pessoas que eram desesperadamente gratas apenas pelo fato de terem um emprego.

Com aquelas mensagens, percebi que a dor não fazia distinção de gênero, lugar nem idade. E, no fundo, ela existia porque…

Falei com pessoas que estavam dispostas a qualquer coisa para
se livrar da insatisfação, mas elas não sabiam o que fazer.

Escrevi este livro para compartilhar o que descobri na minha própria jornada e o que mais ajudou as pessoas que conheci.
No entanto, não se trata de um livro de respostas, porque elas estão dentro de você; esta é uma coletânea das melhores perguntas com as quais me deparei ao longo do caminho.
Pense nestas páginas como uma série de portas criadas para
que você possa escolher que rumo seguir.

São 11h55 da manhã de uma quinta-feira e estou clicando em “salvar” pela última vez neste documento antes de ele começar sua aventura pelo mundo. Ao longo da vida, descobri que as coisas acontecem na hora certa. Não antes. Nem depois. Pense na possibilidade de este livro ter chegado às suas mãos porque você queria que chegasse. Porque uma parte sua já vislumbrou essa encruzilhada e você está pronto para o que vem pela frente. Eu me sinto privilegiada e grata por estas palavras chegarem até você, por algum meio, na hora oportuna. Obrigada por fazer parte desta louca e maravilhosa jornada. De um viajante para outro: Boa sorte!

23 de outubro de 2014
São Francisco, Califórnia, Estados Unidos

Introdução

Nós compartilhamos coisas na internet. Todos os dias. O tempo todo. Mas havia algo de diferente naquela coisa. Tão diferente que, em poucas semanas, o texto tinha sido retuitado por mais de cinco milhões de usuários e lido por 250 mil pessoas.

“Largue tudo o que você está fazendo e leia isto agora”, postou uma mulher. “Este texto mudou a minha vida”, escreveu outra. “Eu estava prestes a mandar o texto para todos os meus funcionários”, afirmou um CEO, “mas supus que um terço deles iria pedir demissão quando terminasse de ler. Quer saber de uma coisa? Se eles não querem estar aqui, prefiro que peçam demissão – então mandei.”

Recebi uma enxurrada de e-mails. Novas mensagens não paravam de chegar em meu celular. O texto se espalhou depressa pela internet, se tornou viral e, bem, aqui estamos nós. Resolvi escrever este livro por causa das pessoas que compartilharam sua história comigo e pela dor e a coragem de sua luta. Eram mulheres de 30 e poucos anos. Homens de 20 e poucos. Um aluno no fim do ensino médio. Pais. Uma viúva. Mães que criam os filhos sozinhas. Milionários que já foram pobres. Pobres que já foram milionários. Professores. Advogados. Um músico disfarçado de advogado. Um poeta que adorava dirigir ônibus. Mulheres que não queriam engravidar. Homens que queriam criar os filhos. Pessoas que se sentiam presas ao trabalho e pessoas que eram desesperadamente gratas apenas pelo fato de terem um emprego.

Com aquelas mensagens, percebi que a dor não fazia distinção de gênero, lugar nem idade. E, no fundo, ela existia porque…

Falei com pessoas que estavam dispostas a qualquer coisa para
se livrar da insatisfação, mas elas não sabiam o que fazer.

Escrevi este livro para compartilhar o que descobri na minha própria jornada e o que mais ajudou as pessoas que conheci.
No entanto, não se trata de um livro de respostas, porque elas estão dentro de você; esta é uma coletânea das melhores perguntas com as quais me deparei ao longo do caminho.
Pense nestas páginas como uma série de portas criadas para
que você possa escolher que rumo seguir.

São 11h55 da manhã de uma quinta-feira e estou clicando em “salvar” pela última vez neste documento antes de ele começar sua aventura pelo mundo. Ao longo da vida, descobri que as coisas acontecem na hora certa. Não antes. Nem depois. Pense na possibilidade de este livro ter chegado às suas mãos porque você queria que chegasse. Porque uma parte sua já vislumbrou essa encruzilhada e você está pronto para o que vem pela frente. Eu me sinto privilegiada e grata por estas palavras chegarem até você, por algum meio, na hora oportuna. Obrigada por fazer parte desta louca e maravilhosa jornada. De um viajante para outro: Boa sorte!

23 de outubro de 2014
São Francisco, Califórnia, Estados Unidos

LEIA MAIS

Elle Luna

Sobre o autor

Elle Luna

Designer, pintora e escritora. Ajudou no desenvolvimento de sites como Medium.com e de aplicativos de iPhone como Mailbox e Uber. Atualmente mora em São Francisco.

VER PERFIL COMPLETO