Comer intuitivo - Sextante
Livro
AUTOAJUDA

Comer intuitivo

EVELYN TRIBOLE E ELYSE RESCH

Faça as pazes com a comida. Liberte-se da dieta crônica. Redescubra o prazer de comer

Faça as pazes com a comida. Liberte-se da dieta crônica. Redescubra o prazer de comer

 

Uma revolucionária abordagem anti-dieta que se tornou uma referência sobre o assunto, com 500 mil exemplares vendidos.

Faça as pazes com a comida, liberte-se da dieta crônica e redescubra o prazer de comer.

“Um livro poderoso e empático para todos que estão cansados de viver no mundo dos alimentos proibidos e das dietas da moda.” – Publishers Weekly

“Ao contrário das dietas, o processo do Comer Intuitivo é não linear e personalizado, com foco no bem-estar, não na perda de peso.” – The Huffington Post

 

Seu corpo tem a sabedoria de que você precisa. Escute-o e descubra a liberdade de ter uma relação saudável com a comida.

Revolucionário em sua abordagem antidieta e verdadeira referência no assunto, Comer intuitivo explica por que as dietas são prejudiciais e exploram modismos nutricionais que têm nos tornado cada vez menos saudáveis.

Especialistas em nutrição, Evelyn Tribole e Elyse Resch mostram que o caminho para estabelecer uma relação saudável com a comida é ouvir o próprio corpo e se reconectar com a sabedoria interna sobre alimentação.

Para isso, é preciso desaprender as regras impostas por sucessivas dietas – como contagem de calorias e proibição de certos alimentos – e reaprender a perceber os sinais naturais de fome e de saciedade.

Com sugestões fáceis de seguir e princípios ancorados em vasta pesquisa científica, este livro traz informações que vão ajudar você a:

•  Encontrar satisfação em suas escolhas alimentares
•  Perceber quando a comida está sendo usada para esconder uma dor emocional
•  Prevenir ou curar as feridas causadas por transtornos alimentares
•  Preservar a intuição inata das crianças em relação à alimentação
•  Fazer as pazes com seu corpo e se libertar do estigma do peso
•  Tornar-se um Comedor Intuitivo e redescobrir o prazer de comer

Compartilhe: Email
Ficha técnica
Lançamento 09/11/2021
Título original Intuitive Eating
Tradução Débora Chaves
Formato 16 x 23 cm
Número de páginas 448
Peso 520 g
Acabamento Brochura
ISBN 978-65-5564-232-2
EAN 9786555642322
Preço R$ 69,90
Ficha técnica e-book
eISBN 978-65-5564-233-9
Preço R$ 39,99
Ficha técnica audiolivro
ISBN 9786555643787
Duração 16h 22min
Locutor Elaine Correia
Preço US$ 7,99
Lançamento 09/11/2021
Título original Intuitive Eating
Tradução Débora Chaves
Formato 16 x 23 cm
Número de páginas 448
Peso 520 g
Acabamento Brochura
ISBN 978-65-5564-232-2
EAN 9786555642322
Preço R$ 69,90

E-book

eISBN 978-65-5564-233-9
Preço R$ 39,99

Audiolivro

ISBN 9786555643787
Duração 16h 22min
Locutor Elaine Correia
Preço US$ 7,99

Leia um trecho do livro

PREFÁCIO

A função integrativa do cérebro revela como o raciocínio, que se julgava ser um modo de pensar “puramente lógico”, depende na verdade do processamento não racional do nosso corpo.
– Daniel Siegel, Mente saudável, 2010

O livro Comer Intuitivo foi publicado originalmente em 1995 nos Estados Unidos e, ao longo dos anos, centenas de milhares de leitores tiveram a sensação de serem compreendidos. Recebemos muitas cartas e e-mails dizendo “Vocês escreveram sobre mim”, “Como vocês sabiam que eu me sentia assim?” ou “Finalmente alguém entendeu”. No entanto, houve quem perguntasse o que realmente significava o Comer Intuitivo (CI). Será que somos movidos apenas por instinto? Será que simplesmente “sabemos” o que, quanto e quando comer? Nesta apresentação à edição atualizada, gostaríamos de aproveitar a oportunidade para esclarecer o conceito o melhor possível.

Conhecer um pouco do cérebro humano ajuda a entender por que nascemos com a sabedoria necessária para nos alimentarmos de maneira intuitiva. Esse conhecimento também ajuda a perceber que podemos viver comendo de forma intuitiva mesmo sendo bombardeados todos os dias por inúmeras opções de alimentos, tanto naturais quanto processados, e pelas implacáveis e onipresentes mensagens sobre dietas.

Os seres humanos têm o privilégio de experimentar uma interação dinâmica entre instinto, emoção e pensamento, que trabalham em conjunto para organizar a vida e são mediados pelo cérebro. O psiquiatra e especialista em atenção plena Daniel Siegel chama esse processo de “visão mental” (mindsight). O cérebro tem três regiões responsáveis por essa integração poderosa.

A primeira delas é conhecida como cérebro reptiliano, porque os primeiros répteis que andaram sobre a Terra agiam e reagiam somente por instinto, não racionalizavam nem sentiam. À medida que a vida evoluiu, o cérebro desenvolveu outro nível de funcionamento, o chamado cérebro límbico, que os mamíferos também possuem. É onde as emoções e os comportamentos sociais têm origem. No cérebro límbico os sentimentos se sobrepõem aos instintos do cérebro reptiliano. Os instintos surgem no cérebro reptiliano e são enviados para o cérebro límbico, que trata de expandir a consciência (Levine, 1997). Por fim, desenvolveu-se a terceira região-chave do cérebro, conhecida como cérebro racional, ou neocórtex, que integra os instintos e os sentimentos (das outras duas regiões). O cérebro racional não controla os instintos, ele entende as partes instintiva e emocional do nosso organismo e se manifesta sobre elas. Essa região cria o pensamento e a linguagem.

O Comer Intuitivo engloba as três partes do cérebro humano. Na primeira infância, o ato de comer é essencialmente instintivo. À medida que crescemos, pensamentos e sentimentos passam a influenciar muitas de nossas decisões sobre alimentação. Sempre dizemos aos nossos pacientes que nosso corpo não é apenas língua e estômago, mas também uma mente. Às vezes alguém retruca: “Achei que ao me tornar um Comedor Intuitivo eu poderia comer tudo que quisesse. Então agora como tudo que quero, na quantidade que quero e sempre que me dá vontade!” Esse comentário distorce a premissa do CI. Sim, reconcilie-se com a comida e coma o que agrada a seu paladar. Sim, sinta-se livre para comer incondicionalmente e na quantidade necessária para satisfazer seu corpo. No entanto, comer sempre que sentir vontade, sem levar em conta a fome e a saciedade, pode não ser muito satisfatório e até provocar desconforto físico. A sintonia fina com os sinais de saciedade do seu corpo é uma parte importante desse processo.

Ao se alimentar de forma intuitiva, você estará respeitando seu cérebro, porque ele faz parte de seu corpo. Ao seguir os princípios do CI, você vai registrar informações nos “arquivos” de memória que criou e armazená-las no cérebro. Quando sentir fome, vai precisar acessar vários desses arquivos para decidir o que comer. Primeiro vai avaliar o tamanho da sua fome, depois vai pensar quais alimentos podem saciar sua fome e seu paladar. Pode até evocar imagens sensoriais do sabor, da textura e da temperatura dos alimentos ou abrir um novo arquivo em sua mente para refletir sobre suas experiências anteriores e tentar lembrar se o alimento escolhido já funcionou antes para você. Ele o sustentou por tempo suficiente? Aumentou seu nível de açúcar no sangue? Você teve indigestão? Ou sentiu prazer e quer comê-lo de novo? As emoções também podem ser ativadas quando você sente vontade de comer. Será que você está chateado e quer obter alívio e tranquilidade por meio da comida? Ou quer beliscar alguma coisa para afastar o tédio? Avaliar essas possibilidades pode embasar sua decisão quanto ao que comer ou mesmo se deve comer.

No início da sua jornada de resgate do Comer Intuitivo, é provável que você fique hiperconsciente das sensações de fome, saciedade e satisfação, bem como de seus pensamentos e suas emoções. Seu cérebro precisará estar em sintonia com sua língua e seu estômago. À medida que for melhorando em reconhecer seus sinais internos, talvez você perceba o instinto e a sabedoria intuitivos assumindo um papel de maior destaque em sua experiência alimentar. Ser um Comedor Intuitivo é, em essência, confiar que você terá acesso a todas as informações de que precisa, pois usará todas as dimensões do seu cérebro: os instintos reptilianos, a conexão límbica com as emoções e os pensamentos racionais.

Ao relembrarmos a trajetória deste livro, é difícil acreditar que já se passaram 26 anos desde sua publicação original. Embora o tempo tenha passado rápido, foram anos repletos de experiências marcantes. Recebemos inúmeros e-mails, ligações, mensagens nas redes sociais e cartas de gente de todas as partes do país e do mundo. Fomos integradas à vida de pessoas que não conheceríamos não fosse por este livro. Soubemos de histórias de como o Comer Intuitivo mudou vidas e recuperou a relação de muita gente com a comida e com o próprio corpo. Conversamos com pessoas que estão iniciando sua jornada e nos procuram em busca de um trabalho individualizado e mais intenso, seja pessoalmente, on-line ou por telefone, mas também recebemos agradecimentos de muitos que fizeram esse processo sozinhos, usando o livro como instrumento para a cura pessoal.

Recebemos pedidos de indicação de terapeutas nutricionais e profissionais de saúde em outras localidades que fossem familiarizados com o Comer Intuitivo. Para divulgar nossa mensagem, treinamos mais de mil profissionais do mundo inteiro para se tornarem conselheiros e facilitadores certificados. Fizemos palestras em eventos profissionais, assim como para estudantes e para o público leigo, e fomos entrevistadas em programas de televisão, rádios e podcasts. Fomos citadas em artigos de jornais, revistas e sites. Colegas de profissão pediram autorização para tratar do Comer Intuitivo em palestras, workshops e seminários.

O impacto de todas essas experiências foi muito significativo para nós. Tivemos a oportunidade de ampliar o trabalho que até então fazíamos em nosso consultório, atendendo individualmente nos formatos presencial e remoto. Conseguimos ampliar o alcance da filosofia do CI àqueles que nunca teriam acesso a ela se não fosse o livro.

Foi emocionante saber como esta obra mudou a vida de tanta gente. Um dos comentários que mais ouvimos diz respeito ao desespero que as pessoas sentiam após anos de tentativas fracassadas de emagrecimento e à esperança que ressurgiu depois de conhecerem nosso trabalho. Soubemos que muita gente se libertou dos pensamentos punitivos e obsessivos sobre alimentação e percepção corporal, o que abriu espaço para o pensamento positivo e para a determinação de empreender mudanças importantes na vida. Sua autoestima melhorou, pois um processo que respeita e valida sua voz interior promove a autonomia. Graças ao Comer Intuitivo, essas pessoas aprenderam a confiar na sabedoria inata que sempre tiveram em si mas que estava embotada por anos de insegurança. Ao duvidarem de seus sinais interiores, haviam passado a questionar também suas crenças sobre muitos outros aspectos da vida.

Ouvimos histórias de leitores e leitoras que terminaram um relacionamento abusivo, de outros que fizeram as pazes com alguma pessoa querida de quem tinham se afastado e ainda daqueles que realizaram mudanças importantes na carreira após resolverem seus conflitos relacionados com a comida e o corpo. Também soubemos de romances que não teriam sido possíveis se as pessoas ainda estivessem preocupadas com o corpo e concentradas na tentativa de seguir a dieta mais recente. Comer Intuitivo libertou todas essas pessoas para que seguissem em frente com sua vida, livrando-se das dúvidas e do desespero gerados por sua difícil relação com a comida. (É preciso levar em consideração, porém, que as pessoas de peso mais elevado provavelmente continuarão a ser discriminadas, mesmo depois de se tornarem Comedoras Intuitivas.)

Comer Intuitivo também mudou a vida de muitos de nossos colegas de profissão. Em todas as conferências somos abordadas por terapeutas nutricionais e psicólogos que nos agradecem por poder recomendá-lo a seus pacientes. Eles nos contam como o livro facilitou sua vida, já que pode ser usado como guia nas consultas, nas aulas e nos seminários que dão. Também descobrimos que ter um livro escrito por nós que possa ser usado como referência pelos pacientes é uma ajuda inestimável ao nosso trabalho. Algumas pessoas nos disseram que é como se estivessem levando para casa uma parte de nós, à qual podem recorrer sempre que precisarem!

Esta edição atualizada traz alguns acréscimos que – assim esperamos – oferecem novas ferramentas e alcançam um público ainda maior.

Primeiro acrescentamos uma seção sobre o desmame guiado pelo bebê (BLW) e introdução alimentar no capítulo Formando Comedores Intuitivos. Nosso objetivo é ajudar pais, mães e cuidadores em geral a proteger a sabedoria inata de seus filhos em relação à alimentação. Também queremos propor maneiras de recuperarem a relação que talvez tenham com os filhos em torno da experiência de comer. Como seria maravilhoso se todas as crianças conseguissem manter ao longo da vida seu Comedor Intuitivo nato!

Além disso, ampliamos o capítulo sobre as pesquisas que validam os benefícios do CI. Quando escrevemos este livro, revisamos dados de centenas de estudos, o que, somado à nossa experiência clínica, viria a formar a base dos 10 princípios do Comer Intuitivo. Embora o conceito inicial seja baseado em dados (ou, mais exatamente, inspirado em dados), não é a mesma coisa dizer que “estudos mostram que o Comer Intuitivo funciona”. Até há pouco tempo foi assim.

Quando desenvolvemos o Comer Intuitivo, não imaginávamos que o conceito geraria tantos novos estudos, o que para nós é muito empolgante! Até o momento, foram mais de 125, sem contar muitos outros que estão em andamento. Nesta edição atualizada, discutimos a excelente pesquisa sobre a consciência interoceptiva – a base do Comer Intuitivo –, que se define basicamente como nossa capacidade de perceber as sensações físicas que vêm de dentro do nosso corpo. Isso inclui manifestações como bexiga cheia ou coração acelerado, bem como sinais de saciedade e de fome. Cada emoção provoca uma sensação única no corpo, como uma impressão digital física. Quando escutamos nosso corpo com a consciência interoceptiva, temos uma riqueza de informações para atender nossas necessidades fisiológicas e psicológicas. Em outras palavras, como colocamos no Capítulo 1: nossas vontades, necessidades e emoções estão intimamente ligadas às sensações que experimentamos em nosso corpo aqui e agora. Os princípios do Comer Intuitivo operam tanto pelo aumento da consciência interoceptiva quanto pela remoção dos obstáculos a esse “superpoder”, que geralmente surgem na mente na forma de regras, crenças e pensamentos.

Continuamos direcionando o foco para a satisfação como força propulsora no processo. Você verá que a busca pela satisfação em comer é o alicerce de todos os princípios deste livro, que contribuem para encontrar essa satisfação. Fizemos também diversas outras atualizações. Ao longo dos anos, adquirimos grande sensibilidade ao impacto que os números têm em nossos leitores e leitoras. Seja em referência ao peso corporal, à altura ou ao tamanho das porções, os números podem desencadear comparações e sentimentos negativos. Portanto, tratamos de eliminá-los sempre que possível. A maior parte das referências ao peso corporal também foi retirada, pois consideramos que servem apenas para perpetuar o estigma nocivo existente em nossa cultura. Aliás, esse problema é tão arraigado que acrescentamos conteúdos sobre a cultura da dieta e o estigma do peso, que ajudam a esclarecer como isso afeta você, mesmo que não esteja conscientemente fazendo dieta.

Não deixe de ler a nova seção de Recursos, que traz informações sobre nossas comunidades on-line e ferramentas para que você tenha um apoio contínuo em sua jornada pelo Comer Intuitivo.

Achamos importante manter o apêndice com as Orientações Passo a Passo, pois se trata de um resumo de fácil acesso, útil tanto para leitores antigos quanto para novos. Se é sua primeira vez com o livro, você pode ler o texto na íntegra e depois usar o resumo para relembrar todo o processo. Se já está familiarizado com o processo do CI, pode usar essa seção para rever o conceito e tê-la à mão para uma consulta rápida. Outra opção é ler um princípio por vez e depois a parte do correspondente resumo, para fortalecer seu foco em cada etapa. (Um lembrete: não existe “jeito certo” de incorporar o conceito do Comer Intuitivo; simplesmente siga seu instinto à medida que avançar na leitura. Se você se interessar por um princípio e decidir ler logo sobre ele, desconsiderando a ordem em que aparece, fique à vontade.) Seja qual for sua escolha, esperamos que as orientações e seu passo a passo sejam uma ferramenta útil em sua jornada.

Por fim, gostaríamos de expressar nossa gratidão às muitas pessoas que tivemos a honra de conhecer ou com quem trabalhamos ao longo dos anos. Vocês foram nossos mestres, mesmo tendo sido nós que atuamos como conselheiras em seu caminho para a cura. Vocês são a inspiração que nos faz continuar este trabalho e que nos levou a atualizar o conteúdo de Comer Intuitivo. Agradecemos de coração.

LEIA MAIS

Evelyn Tribole

Sobre o autor

Evelyn Tribole

EVELYN TRIBOLE é nutricionista com mais de 20 anos de experiência, além de palestrante e autora de outros oito livros sobre alimentação e culinária. Atuou como especialista em nutrição no programa de TV Good Morning America e como porta-voz nacional da Associação Dietética Americana.

VER PERFIL COMPLETO

Elyse Resch

Sobre o autor

Elyse Resch

ELYSE RESCH é terapeuta nutricional com 40 anos de experiência, especialista em transtornos alimentares, Comer Intuitivo e Saúde em Todos os Tamanhos (HAES). Também realiza palestras, podcasts e treinamentos profissionais, além de ter presença ativa na mídia, promovendo a liberdade corporal por acreditar que todos os corpos merecem respeito.

VER PERFIL COMPLETO

Assine a nossa Newsletter

Administração, negócios e economia
Autoajuda
Bem-estar, espiritualidade e mindfulness
Biografias, crônicas e histórias reais
Lançamentos do mês
Mais vendidos
Audiolivros
Selecionar todas
Administração, negócios e economia Lançamentos do mês
Autoajuda Mais vendidos
Bem-estar, espiritualidade e mindfulness Biografias, crônicas e histórias reais
Audiolivros Selecionar todas

Sobre o uso de cookie neste site: usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.