Perguntas essenciais sobre o futuro - Sextante
NÃO FICÇÃO

Perguntas essenciais sobre o futuro

Perguntas essenciais sobre o futuro

|

Compartilhe esse texto: Email
Perguntas essenciais sobre o futuro

A partir da experiência internacional dos autores, este livro reúne dez histórias sobre dilemas contemporâneos em um convite a reflexões necessárias

Se antes da pandemia o planeta já cambaleava entre grandes incertezas, notícias falsas, ódio generalizado e uma profunda incomunicabilidade, a disseminação da Covid-19, que não conhece fronteiras, acrescentou um fato novo, embaralhando ainda mais o tabuleiro global. O presente se tornou uma angústia infindável e o futuro, um ponto de interrogação sem resposta aparente. Dessa urgência por respostas – ou, pelo menos, por novas perguntas – surgiu 10 histórias para tentar entender um mundo caótico, livro recém-lançado pela advogada e colunista do jornal português Observador e da revista Glamour Ruth Manus e pelo correspondente internacional do UOL e do Grupo Bandeirantes Jamil Chade.

A distância, ela em Lisboa, onde finaliza seu doutorado, ele em Genebra, onde cobre o dia a dia de organizações intergovernamentais, como a ONU e a OMS, a dupla deu espaço a uma longa conversa estabelecida por correspondência a partir das experiências vividas por cada um. O bate-papo – narrado em dez histórias, propostas ora por um ora por outro – se desdobra como um novelo, dando origem a novas reflexões. São ideias e ponderações que surgem a partir de um ponto do planeta onde os autores já estiveram, transitando entre polos e mundos distantes, olhando por entre muros e divisas, os reais e os imaginários.

É um fato que livros de cartas já renderam grandes obras literárias, mas este aqui vai além, mira no agora e nas escolhas realizadas hoje, que, certamente, moldarão o futuro. Como olhar para ambos os lados dos muros e das fronteiras que nos dividem? O que nos trouxe a tamanha encruzilhada? Como sairemos dela? Ruth e Jamil propõem o caminho do diálogo, o mesmo que estabelecem no livro.

A pandemia mudou a vida no planeta e já é um marco que define esta geração. O que não se sabe ainda, porém, é se a experiência da dor causada pelo vírus intangível poderá trazer algum benefício a médio e longo prazos. “Não pretendemos chegar a soluções definitivas ou receitas mágicas – longe disso. Mas queremos provocar um debate muito além da pandemia. Queremos refletir sobre quem somos e para onde queremos ir. Se o nosso mundo já era complexo, agora ele é complexo e urgente”, avaliam os autores na introdução do livro.

Não há momento mais propício para essa reavaliação. Sem dúvida a Covid-19, tema que aparece na obra quase como uma personagem, marca um ponto de inflexão. Mas, para ampliar o diálogo, é preciso ir além de nossas bolhas. Não há soluções simples, ao contrário do que pregam os populistas de ocasião. Por isso mesmo, 10 histórias para tentar entender um mundo caótico é um livro amplo, tanto do ponto de vista geográfico quanto em sua diversidade temática.

As histórias narradas são acompanhadas por palavras-chaves que estão no centro do debate contemporâneo, como, por exemplo, democracia, bem-estar social, migrações, populismo, religião, identidade, racismo e violência. São sobre esses assuntos que discorrem Ruth e Jamil. E a nós, que acompanhamos as idas e vindas entre os autores, pontuadas por perguntas provocativas e premissas desconcertantes, fica a vontade de entrar na conversa, de tão necessária e inquietante.

Selecionamos algumas reflexões dos autores sobre os assuntos debatidos na obra. Confira:

Felicidade e bem-estar social:

“Colocar a felicidade como pauta de política pública é pôr em discussão distribuição de renda, segurança, saúde, educação, cultura e liberdade. Mas mensurar o desenvolvimento através da felicidade e do bem-estar é algo que realmente me parece um progresso revolucionário na gestão dos Estados.” – Ruth Manus

Mudanças climáticas e o futuro do planeta:

“Hoje o discurso – inclusive da ONU – é muito mais direto: a crise climática é a maior ameaça à sobrevivência de nossa própria espécie. Hoje, quando falamos de clima, estamos dentro do debate de direitos humanos e justiça entre gerações.” – Jamil Chade

Desigualdade e violência:

“Desigualdade e violência andam sempre de mãos dadas. O fato é que o coronavírus evidencia muito mais do que as fragilidades dos nossos corpos. Ele evidencia a fragilidade dos nossos sistemas de saúde, dos nossos governos e, acima de tudo, da forma como a nossa sociedade está estruturada.” – Ruth Manus

Racismo e oportunidades:

“Os negros no país [Brasil] são mais assassinados, têm menor escolaridade, menores salários, maior taxa de desemprego, menos acesso à saúde, morrem mais cedo e têm a menor participação no PIB. Mas são os que mais lotam as prisões e os que menos ocupam postos nos governos ou nos tribunais.” – Jamil Chade

Sobre os autores:

Jamil Chade é jornalista especializado em coberturas internacionais. Com passagens por mais de 70 países, ele cruzou fronteiras com refugiados, entrevistou grandes personalidades, cobriu eleições e cúpulas de chefes de Estado, entre outros feitos. De seu escritório na ONU em Genebra, contribuiu para veículos internacionais como The GuardianEl Pais, BBC, CNN, Le Temps e Al Jazeera, além de ser colunista do UOL e do Grupo Bandeirantes.

Ruth Manus é advogada, professora e escritora. Mestre em Direito do Trabalho pela PUC-SP e pós-graduada em Direito Coletivo do Trabalho pela Università di Roma Tor Vergata e em Direito Europeu pela Universidade de Lisboa, ela vive desde 2014 em Portugal, onde finaliza seu doutorado. É colunista do jornal Observador e da revista Glamour, e autora dos livros Um dia ainda vamos rir de tudo isso e Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas.

Este post foi escrito por:

Felipe Maciel

Jornalista com 20 anos de experiência no mercado e pós-graduação em Mercado Editorial e em Tradução, trabalhou em jornais, revistas e agências de comunicação. Foi coordenador de comunicação do Sesc Rio. Desde 2010, trabalha no mercado editorial com passagens por algumas das principais editoras do país.

Este post foi escrito por:

Felipe Maciel

Jornalista com 20 anos de experiência no mercado e pós-graduação em Mercado Editorial e em Tradução, trabalhou em jornais, revistas e agências de comunicação. Foi coordenador de comunicação do Sesc Rio. Desde 2010, trabalha no mercado editorial com passagens por algumas das principais editoras do país.

Livro

Ruth Manus

RUTH MANUS é advogada, professora e escritora - não necessariamente nesta ordem. Mestre em Direito do Trabalho pela PUC-SP e pós graduada em Direito Coletivo do Trabalho pela Università di Roma Tor Vergata, em Direito Europeu pela Universidade de Lisboa e em Processo do Trabalho pela PUC-SP, ela vive desde 2014 em Portugal, onde está terminando seu doutorado em Direito Internacional na Universidade de Lisboa. Ela também atua como palestrante, é colunista do jornal português Observador e da revista Glamour no Brasil, e autora de outros seis livros, entre eles Um dia ainda vamos rir de tudo isso e Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas, publicados pela Editora Sextante. Manus e Chade apresentaram juntos o podcast Geração P, no UOL, que debateu os efeitos da pandemia de Covid-19 na sociedade.  

VER PERFIL COMPLETO

Jamil Chade

JAMIL CHADE é jornalista especializado em coberturas internacionais. Com passagens por mais de 70 países, nos últimos 20 anos ele cruzou fronteiras com refugiados, entrevistou vencedores do prêmio Nobel, cobriu eleições, cúpulas de chefes de estado e mega eventos esportivos. De seu escritório na sede da ONU em Genebra, contribuiu com veículos internacionais como The Guardian, El Pais, BBC, CNN, Le Temps, Swissinfo, CCTV, Al Jazeera, France24 e outros, além de ser colunista do UOL e do Grupo Bandeirantes. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de outros cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Ele também foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se. Em 2020, venceu o principal prêmio do ano da Associação Internacional da Imprensa Esportiva por suas revelações sobre a corrupção no futebol.

VER PERFIL COMPLETO
Livro

Hotsite: http://mundocaoticoempauta.com.br/   Neste livro, Ruth Manus e Jamil Chade refletem sobre felicidade, corrupção, saúde, violência, meio ambiente, desigualdade, amor, racismo e tantos outros temas que assombram um planeta em transformação. “Fiquei encantado com este livro. É um caderno de viagens. Traz histórias que vão da menina de 10 anos no interior da Tanzânia a […]

Ruth Manus

RUTH MANUS é advogada, professora e escritora - não necessariamente nesta ordem. Mestre em Direito do Trabalho pela PUC-SP e pós graduada em Direito Coletivo do Trabalho pela Università di Roma Tor Vergata, em Direito Europeu pela Universidade de Lisboa e em Processo do Trabalho pela PUC-SP, ela vive desde 2014 em Portugal, onde está terminando seu doutorado em Direito Internacional na Universidade de Lisboa. Ela também atua como palestrante, é colunista do jornal português Observador e da revista Glamour no Brasil, e autora de outros seis livros, entre eles Um dia ainda vamos rir de tudo isso e Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas, publicados pela Editora Sextante. Manus e Chade apresentaram juntos o podcast Geração P, no UOL, que debateu os efeitos da pandemia de Covid-19 na sociedade.  

VER PERFIL COMPLETO

Jamil Chade

JAMIL CHADE é jornalista especializado em coberturas internacionais. Com passagens por mais de 70 países, nos últimos 20 anos ele cruzou fronteiras com refugiados, entrevistou vencedores do prêmio Nobel, cobriu eleições, cúpulas de chefes de estado e mega eventos esportivos. De seu escritório na sede da ONU em Genebra, contribuiu com veículos internacionais como The Guardian, El Pais, BBC, CNN, Le Temps, Swissinfo, CCTV, Al Jazeera, France24 e outros, além de ser colunista do UOL e do Grupo Bandeirantes. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de outros cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Ele também foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se. Em 2020, venceu o principal prêmio do ano da Associação Internacional da Imprensa Esportiva por suas revelações sobre a corrupção no futebol.

VER PERFIL COMPLETO

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados