Livro
Livro
AUTOAJUDA

Hermann Hesse para desorientados

Hermann Hesse para desorientados

ALLAN PERCY

66 lições inspiradoras para conquistar a realização pessoal, profissional e espiritual

66 lições inspiradoras para conquistar a realização pessoal, profissional e espiritual

Hermann Hesse para desorientados é um manual inspirador para os leitores que buscam serenidade e orientação para lidar com as complexidades da vida. Um dos escritores de maior influência no século XX, Hesse foi referência espiritual para várias gerações. Sua clareza de pensamento, seus princípios morais e seu profundo conhecimento da alma humana ficaram imortalizados em obras como SidartaDemian e O lobo da estepe;

Neste livro, Allan Percy se debruça sobre os textos do premiado autor alemão e apresenta 66 máximas que tratam de temas como autoestima, felicidade, autoconhecimento, busca por aceitação, sucesso e realização pessoal.

Após cada aforismo, a partir das palavras do próprio Hesse, Percy aprofunda o pensamento e estabelece comparações com situações do dia a dia, ajudando o leitor a olhar a vida por uma perspectiva mais ampla e entrar em harmonia com os outros e consigo mesmo.

Conheça algumas frases que você encontrará no livro:

• Quando odiamos alguém, odiamos em sua imagem algo que está dentro de nós.

• Nenhum ser humano pode ver e entender em outro o que ele mesmo não viveu.

• Às vezes os inimigos são mais úteis que os amigos, pois os moinhos não giram sem vento.

• O verdadeiro ofício de um ser humano é encontrar seu próprio caminho.

• Às vezes as pessoas se agarram às coisas e pensam que se trata de fidelidade, mas é pura preguiça.

• Para que o possível possa surgir, é preciso tentar insistentemente o impossível.

• Atrás de nós não há caminho. É preciso seguir sempre em frente se queremos descobrir o mundo.

****

Ganhador do Prêmio Nobel, Hermann Hesse é um dos nomes mais icônicos da literatura mundial, tendo sido um dos responsáveis pela introdução do orientalismo na cultura ocidental. Sua sensibilidade ímpar tornou-o mais do que um autor cultuado – fez dele quase uma referência espiritual. Neste livro, você vai conhecer um pouco de sua sabedoria e descobrir como aplicar essa filosofia em sua própria vida.

A pessoa se esquece de julgar e criticar os outros quando está cheia de dúvidas sobre si mesma.
Exercer o papel de juiz da vida alheia é a desculpa perfeita para não analisar a própria existência. Se observarmos aqueles que sempre estão emitindo julgamentos sobre o que os outros fazem, encontraremos neles um grande déficit de autocrítica.

A vida de cada homem é um caminho em direção a si mesmo, o ensaio de um caminho, o esboço de um rumo.
Toda existência é uma trilha que deve ser percorrida por cada pessoa. Ninguém pode fazer isso por nós, porque o caminho não está marcado no mapa; nós o construímos pouco a pouco, passo a passo, com nossas decisões e ações.

Se um homem não tem nada para comer, o jejum é a coisa mais inteligente a fazer.
A luta constante com a realidade nos esgota e nos deixa sem recursos. Há situações que não podemos mudar, por mais dolorosa que sejam, e por isso mesmo devemos adaptar nossas atitudes para não piorar as coisas.

Identifique o que deve ser levado a sério e ria do resto.
O humor é um poderoso instrumento de que o ser humano dispõe para relativizar seus problemas e se distanciar deles. Uma situação que nos parece muito grave adquire uma configuração totalmente diferente no momento em que conseguimos rir dela.

Quem diz não a si mesmo não pode dizer sim a Deus.
Negar nossa divindade é ferir o pássaro canoro que habita em nós, é silenciar sua voz para não ouvir o que nos diz nosso ser mais profundo: que cada ser humano é seu próprio mestre.

Só há felicidade quando não exigimos nada do amanhã e aceitamos de bom grado o que o hoje nos traz. O momento mágico sempre chega.
É um erro centrar a vida no que esperamos do futuro, porque desperdiçamos nisso muita energia – uma energia que poderíamos dedicar a coisas mais úteis. Quando deixamos nossa vida em suspenso esperando o que virá amanhã, nos esquecemos do presente e de nós mesmos, porque o agora é tudo o que temos.

Hermann Hesse para desorientados é um manual inspirador para os leitores que buscam serenidade e orientação para lidar com as complexidades da vida. Um dos escritores de maior influência no século XX, Hesse foi referência espiritual para várias gerações. Sua clareza de pensamento, seus princípios morais e seu profundo conhecimento da alma humana ficaram imortalizados em obras como SidartaDemian e O lobo da estepe;

Neste livro, Allan Percy se debruça sobre os textos do premiado autor alemão e apresenta 66 máximas que tratam de temas como autoestima, felicidade, autoconhecimento, busca por aceitação, sucesso e realização pessoal.

Após cada aforismo, a partir das palavras do próprio Hesse, Percy aprofunda o pensamento e estabelece comparações com situações do dia a dia, ajudando o leitor a olhar a vida por uma perspectiva mais ampla e entrar em harmonia com os outros e consigo mesmo.

Conheça algumas frases que você encontrará no livro:

• Quando odiamos alguém, odiamos em sua imagem algo que está dentro de nós.

• Nenhum ser humano pode ver e entender em outro o que ele mesmo não viveu.

• Às vezes os inimigos são mais úteis que os amigos, pois os moinhos não giram sem vento.

• O verdadeiro ofício de um ser humano é encontrar seu próprio caminho.

• Às vezes as pessoas se agarram às coisas e pensam que se trata de fidelidade, mas é pura preguiça.

• Para que o possível possa surgir, é preciso tentar insistentemente o impossível.

• Atrás de nós não há caminho. É preciso seguir sempre em frente se queremos descobrir o mundo.

****

Ganhador do Prêmio Nobel, Hermann Hesse é um dos nomes mais icônicos da literatura mundial, tendo sido um dos responsáveis pela introdução do orientalismo na cultura ocidental. Sua sensibilidade ímpar tornou-o mais do que um autor cultuado – fez dele quase uma referência espiritual. Neste livro, você vai conhecer um pouco de sua sabedoria e descobrir como aplicar essa filosofia em sua própria vida.

A pessoa se esquece de julgar e criticar os outros quando está cheia de dúvidas sobre si mesma.
Exercer o papel de juiz da vida alheia é a desculpa perfeita para não analisar a própria existência. Se observarmos aqueles que sempre estão emitindo julgamentos sobre o que os outros fazem, encontraremos neles um grande déficit de autocrítica.

A vida de cada homem é um caminho em direção a si mesmo, o ensaio de um caminho, o esboço de um rumo.
Toda existência é uma trilha que deve ser percorrida por cada pessoa. Ninguém pode fazer isso por nós, porque o caminho não está marcado no mapa; nós o construímos pouco a pouco, passo a passo, com nossas decisões e ações.

Se um homem não tem nada para comer, o jejum é a coisa mais inteligente a fazer.
A luta constante com a realidade nos esgota e nos deixa sem recursos. Há situações que não podemos mudar, por mais dolorosa que sejam, e por isso mesmo devemos adaptar nossas atitudes para não piorar as coisas.

Identifique o que deve ser levado a sério e ria do resto.
O humor é um poderoso instrumento de que o ser humano dispõe para relativizar seus problemas e se distanciar deles. Uma situação que nos parece muito grave adquire uma configuração totalmente diferente no momento em que conseguimos rir dela.

Quem diz não a si mesmo não pode dizer sim a Deus.
Negar nossa divindade é ferir o pássaro canoro que habita em nós, é silenciar sua voz para não ouvir o que nos diz nosso ser mais profundo: que cada ser humano é seu próprio mestre.

Só há felicidade quando não exigimos nada do amanhã e aceitamos de bom grado o que o hoje nos traz. O momento mágico sempre chega.
É um erro centrar a vida no que esperamos do futuro, porque desperdiçamos nisso muita energia – uma energia que poderíamos dedicar a coisas mais úteis. Quando deixamos nossa vida em suspenso esperando o que virá amanhã, nos esquecemos do presente e de nós mesmos, porque o agora é tudo o que temos.

Compre agora:

Ficha técnica
Lançamento 22/07/2013
Título original
Tradução MICHELLE STRZODA
Formato 14 x 21 cm
Número de páginas 128
Peso 160 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-7542-965-5
EAN 9788575429655
Preço R$ 24,90
Ficha técnica e-book
eISBN 9788575429662
Preço R$ 17,99
Lançamento 22/07/2013
Título original
Tradução MICHELLE STRZODA
Formato 14 x 21 cm
Número de páginas 128
Peso 160 g
Acabamento BROCHURA
ISBN 978-85-7542-965-5
EAN 9788575429655
Preço R$ 24,90

E-book

eISBN 9788575429662
Preço R$ 17,99

Leia um trecho do livro

Prólogo

Hermann Hesse é, muito provavelmente, um dos autores mais importantes do século XX. Farol dos jovens leitores, sua clareza de pensamento segue iluminando milhões de pessoas há quase um século.

Introdutor do orientalismo no Ocidente, escreveu obras emblemáticas como Demian, Sidarta e O lobo da estepe. O romancista norte-americano Henry Miller disse que entenderia Hesse em qualquer língua do mundo, mesmo que não soubesse uma única palavra dela. De fato, Miller foi um dos impulsionadores da obra de Hesse nos Estados Unidos.

Dedicando-se à jardinagem e à aquarela em seu retiro na Suíça, o homem que inspirou este livro passou os últimos vinte anos de sua vida respondendo às milhares de cartas que os leitores lhe mandavam com perguntas sobre os mais variados aspectos da existência.

Suas opiniões sobre a arte de viver fundamentam este pequeno manual, que reúne suas melhores pílulas de sabedoria em forma de aforismos. Dirigido a todas as pessoas que buscam orientação e serenidade para o dia a dia, Hermann Hesse para desorientados trata de temas necessários para encontrar o equilíbrio, como a autoestima, a busca do próprio caminho e a filosofia cotidiana. É um livro inspirador e original, que conduz os leitores à harmonia com os outros e consigo mesmo.

Allan Percy

Prólogo

Hermann Hesse é, muito provavelmente, um dos autores mais importantes do século XX. Farol dos jovens leitores, sua clareza de pensamento segue iluminando milhões de pessoas há quase um século.

Introdutor do orientalismo no Ocidente, escreveu obras emblemáticas como Demian, Sidarta e O lobo da estepe. O romancista norte-americano Henry Miller disse que entenderia Hesse em qualquer língua do mundo, mesmo que não soubesse uma única palavra dela. De fato, Miller foi um dos impulsionadores da obra de Hesse nos Estados Unidos.

Dedicando-se à jardinagem e à aquarela em seu retiro na Suíça, o homem que inspirou este livro passou os últimos vinte anos de sua vida respondendo às milhares de cartas que os leitores lhe mandavam com perguntas sobre os mais variados aspectos da existência.

Suas opiniões sobre a arte de viver fundamentam este pequeno manual, que reúne suas melhores pílulas de sabedoria em forma de aforismos. Dirigido a todas as pessoas que buscam orientação e serenidade para o dia a dia, Hermann Hesse para desorientados trata de temas necessários para encontrar o equilíbrio, como a autoestima, a busca do próprio caminho e a filosofia cotidiana. É um livro inspirador e original, que conduz os leitores à harmonia com os outros e consigo mesmo.

Allan Percy

LEIA MAIS

Allan Percy

Sobre o autor

Allan Percy

Especialista em coaching e em literatura de autoajuda e desenvolvimento pessoal. Presta consultoria editorial a várias editoras espanholas e viaja pelo mundo em busca de inspiração para seus livros.

VER PERFIL COMPLETO

Outros títulos de Allan Percy